• Início
  • ESG
  • Sustentabilidade: como ter uma vida sustentável e transformar o planeta?

Leitura de 15 min

Sustentabilidade: como ter uma vida sustentável e transformar o planeta?

Entenda qual a importância de adotar hábitos mais sustentáveis e como mudar seu estilo de vida

Atualizado em

Um ramo de alecrim para representar um estilo de vida pautado na sustentabilidade
Confira todas as dicas do C6 Bank para ter uma vida mais sustentável

Hoje em dia muito se fala sobre ter iniciativas mais responsáveis em relação ao meio ambiente, mas você já parou para pensar o que significa ser sustentável?

Basicamente, é possível definir uma vida pautada na sustentabilidade como um estilo que não prejudica o planeta e onde há uma busca constante para reduzir o uso de recursos naturais. Mas não para por aí. Esse conceito está diretamente atrelado ao de desenvolvimento sustentável, que é a procura por satisfazer as necessidades da geração atual sem comprometer a capacidade das gerações futuras conseguirem contentar suas próprias necessidades.

“O conceito de desenvolvimento sustentável surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento e deixa bem clara a importância de reconhecer que os recursos naturais são finitos. Sua exploração, somada à poluição da água, à contaminação do solo, ao desmatamento e tantos outros fatores, agrava os problemas ambientais que devem ser resolvidos por toda a sociedade e que são discutidos fortemente por tantos atores relevantes ao redor do mundo”, explica Marina Mancini, responsável pela área de Impacto do C6 Bank.

Ou seja, o significado de sustentabilidade não está atrelado apenas à questão ambiental. Ele se relaciona com pautas econômicas e sociais, já que está sempre em busca de criar uma harmonia entre esses três pilares para assim conseguir construir uma vida sustentável.

Pensando em explicar melhor este conceito tão amplo, a importância de ter a sustentabilidade como estilo de vida e muito mais, o C6 Bank preparou este texto. Nele, você encontrará as respostas para as seguintes questões:

  • O que é sustentabilidade?
  • Tipos de sustentabilidade
  • O que é ser sustentável?
  • Qual a importância da sustentabilidade?
  • Cenário da sustentabilidade no Brasil
  • Dicas para uma vida mais sustentável

Quer ver outros conteúdos relacionados à sustentabilidade? Confira estes posts:

O que é sustentabilidade?

A origem do termo sustentabilidade remete à palavra sustentável, que é derivada do latim sustentare e significa sustentar, defender, favorecer, apoiar, conservar ou cuidar. Além disso, este é um conceito que aborda a maneira como pessoas, empresas e organizações devem agir perante a natureza.

A base para o conceito de sustentabilidade ambiental surgiu em 1972, na Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, conhecida como a Conferência de Estocolmo. Este evento ficou marcado como a primeira conferência para discutir o meio ambiente realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Nele, participaram 113 países e foram debatidas questões como:

  • A industrialização como causa da degradação da natureza;
  • Controle de natalidade;
  • Estagnação econômica.

A Declaração de Estocolmo com 26 princípios e ações propôs aos participantes a introdução de medidas para reduzir o impacto ambiental, como o compromisso dos Estados em assegurar que as organizações realizem um trabalho coordenado, eficaz e dinâmico na conservação do meio ambiente.

No mesmo ano, foi criado o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) pelas entidades da ONU, com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável e coordenar ações mundiais de proteção ao planeta.

Outro evento fundamental para a propagação e popularização do termo sustentabilidade foi a Eco 92, reunião de cúpula que o Rio de Janeiro sediou. Ela teve como objetivo minimizar os impactos ambientais através de um desenvolvimento justo e sustentável.

Tanto Estocolmo 72 e Rio 92 serviram de grande influência para introduzir a sustentabilidade no Brasil, a primeira das reuniões inspirando até mesmo a Constituição Federal de 1988. Nela, há uma seção para essa temática, já que o meio ambiente equilibrado foi considerado um direito fundamental reconhecido com caráter intergeracional e coletivo. Confira o artigo 225 que reforça isso:

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.”

Após essa implementação, foi fundado em 1989 o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, ele tem como missão “proteger o meio ambiente, garantir a qualidade ambiental e assegurar a sustentabilidade no uso de recursos naturais, executando as ações de competência federal”.  

Tipos de sustentabilidade

O tripé da sustentabilidade é um conceito criado por John Elkington em seu artigo The Triple Bottom Line: What is It and How Does It Work? Ele é uma forma de mensurar o impacto das organizações dentro de seus três pilares: social, ambiental e financeiro. Vamos destrinchar cada um deles a seguir. Confira:

Dois prédios empresariais com árvores na varanda como uma iniciativa sustentável
O tripé da sustentabilidade é uma forma de mensurar o impacto das organizações

Sustentabilidade social

Está diretamente relacionada à forma que uma empresa impacta todo o contexto no qual está inserida, seja ele interno (seus funcionários e colaboradores) ou externo (a comunidade ao seu redor e todos que são impactos por seus produtos e serviços).

Ou seja, este tipo de sustentabilidade traduz a ideia de que as organizações devem ser flexíveis, remunerar de forma justa seus funcionários, gerar inclusão e diversidade, além de fornecer bem-estar a toda comunidade ao seu redor através de ações para promover cultura e educação.  

Sustentabilidade ambiental

Como seu próprio nome já pressupõe, diz respeito ao impacto de uma empresa no meio ambiente. Ou seja, é através deste pilar que são avaliadas ações sustentáveis de uma organização, como o descarte correto de matérias-primas e até mesmo o controle na emissão de poluentes.  

O C6 Bank tem algumas iniciativas extremamente relevantes para minimizar seu impacto ambiental. São elas:

  • Incentivo à redução da pegada de carbono. Em 2021 o banco recebeu, pela segunda vez consecutiva, o selo de carbono neutro por compensar as emissões decorrentes de sua operação;
  • Valorização de boas práticas no uso de recursos naturais em prédios corporativos, como uma arquitetura que privilegia a iluminação natural e o uso de redutores de vazão para evitar o desperdício de água;
  • Disponibilização do primeiro cartão biodegradável do Brasil, o Acqua, que leva de seis meses a dois anos para se decompor em condições próprias de compostagem.
  • Divulgação de diversas instituições no aplicativo para facilitar o contato entre pessoas que desejam ajudar alguma causa específica, como é o caso do Instituto Terra, iniciativa do casal Lélia Wanick Salgado e Sebastião Salgado (fotógrafo brasileiro considerado um dos maiores talentos da fotografia mundial pelo teor social de seu trabalho), voltada para a restauração ecossistêmica, educação ambiental e desenvolvimento rural sustentável.

Sustentabilidade econômica

Está relacionada a forma que a empresa cuida de seu patrimônio e investe em novas tecnologias para garantir mais eficiência, qualidade e rentabilidade.

Além disso, neste pilar da sustentabilidade é reforçada a importância da transparência das organizações perante o público, como um compromisso com os acionistas e todos que são impactados pelos seus serviços.

Isso é um incentivo para que todas as empresas se comprometam em cumprir com suas ações e demonstrar resultados da maneira adequada, seguindo todas as normas.

Segundo Felipe Saboya, diretor adjunto do Instituto Ethos, associado ao C6 Bank, negócios sustentáveis e responsáveis são aqueles na qual “a atividade econômica está orientada para a geração de valor econômico-financeiro, ético, social e ambiental, cujos resultados são compartilhados com os públicos afetados”. Além disso, ele defende que essas empresas possuam “produção e comercialização organizadas de modo a reduzir continuamente o consumo de bens naturais e de serviços ecossistêmicos, a conferir competitividade e continuidade à própria atividade, a promover e manter o desenvolvimento sustentável da sociedade”.

O que é ser sustentável?

Ser sustentável é ter um estilo de vida no qual há um cuidado no uso de tudo o que a natureza nos fornece para que não falte nada ao próximo. Ou seja, é também se importar com o próximo e fazer de tudo para criar uma cadeia solidária com o objetivo de preservar o meio ambiente da melhor forma possível.

“Cabe a cada um adotar hábitos sustentáveis em prol do meio ambiente e da sociedade. A afirmação do Greenpeace de que “cada gesto conta” mostra claramente que as escolhas e atitudes do dia a dia de cada um impactam significativamente o cenário ambiental que vamos enfrentar nos próximos anos”, explica Marina Mancini.

Mão plantando uma muda de planta na terra como uma atitude para ser sustentável
Ser sustentável é ter um cuidado redobrado no uso de recursos naturais

Portanto, ter uma vida pautada na sustentabilidade e no meio ambiente vai muito além de praticar a reciclagem e plantar árvores. É sobre repensar os pequenos atos do seu dia a dia, desde o consumo excessivo de água durante o banho ou na lavagem da louça até a escolha de uma marca que respeita os recursos naturais durante o processo de fabricação.

Um outro exemplo é reduzir o consumo de carne, que envolveu a criação da Campanha Segunda Sem Carne, que propõe conscientizar as pessoas sobre os impactos que produtos de origem animal para alimentação têm sobre a saúde humana, animais e o planeta.

Mais adiante traremos diversos exemplos de atitudes sustentáveis que podem ser aplicadas na sua rotina e têm um grande potencial de transformar o meio ambiente.

Qual a importância da sustentabilidade?

A sustentabilidade é essencial para reforçar o entendimento da finitude dos recursos naturais. Ela é uma forma de forçar nas pessoas um questionamento de todas as suas atitudes em prol de um planeta mais saudável e duradouro.

Para reforçar a sua importância, foi criado pela ONG Global Footprint Network o Dia de Sobrecarga da Terra, que é quando a população mundial consome todos os recursos (alimentos, água, fibras, madeira, terra, emissões de carbono, etc) em volume superior ao que o planeta é capaz de renovar.

Confira as datas deste marco desde que foi criado:

  • 1971: 25 de dezembro;
  • 1980: 8 de novembro;
  • 1990: 14 de outubro;
  • 2000: 25 de setembro;
  • 2010: 8 de agosto;
  • 2019: 29 de julho;
  • 2020: 22 de agosto;
  • 2021: 29 de julho;
  • 2022: 28 de julho.

Ou seja, o limite está cada vez pior e esta é uma conta que está fechando negativamente. Justamente por isso é que a sustentabilidade deve estar enraizada no comportamento das pessoas, para que elas sempre pensem em um longo prazo e consigam criar uma gestão mais sustentável dos recursos naturais. Se continuarmos no ritmo que estamos, não seremos capazes de suprir a capacidade da população em breve.

Cenário da sustentabilidade no Brasil

Segundo uma pesquisa realizada pela Opinion Box em julho de 2021, 82% dos brasileiros consideram a sustentabilidade como um tema importante. O estudo analisou a opinião de 2.203 pessoas em relação ao tema de meio ambiente e negócios. Além disso, 37% afirmaram que já deixaram de consumir produtos de empresas que não pensam na preservação do meio ambiente durante o processo de produção.

Infográfico sobre o Posicionamento sustentável do consumidor brasileiro. 82% dos brasileiros consideram a sustentabilidade importante ao cotidiano; 62% das pessoas consideram a postura da marca em relação ao meio ambiente no momento da compra; 37% dos entrevistados já deixaram de consumir produtos de empresas que não preservam o meio ambiente; 60% da população usa lâmpadas econômicas e controla o uso de água; 49% das pessoas reutilizam as embalagens e separa o lixo para reciclagem. Fonte: Plataforma de pesquisa, Opinion Box
Análise sobre o posicionamento sustentável do consumidor brasileiro

Os dados também reforçam que muitas pessoas estão dispostas a pagar mais por um produto sustentável: são 62% de brasileiros com este pensamento. Esse número está diretamente relacionado com a satisfação em comprar produtos sustentáveis, já que 81% afirmam sentir um prazer maior ao comprar estes itens.

Em relação às atitudes que são colocadas em prática no dia a dia, apenas 2% dos participantes da pesquisa afirmaram não praticar nenhuma ação sustentável. Do total dos entrevistados, 60% disseram adotar medidas como uso de lâmpadas econômicas e o controle do uso d’água. Além disso, 49% afirmaram reutilizar as embalagens e separar o lixo para reciclagem.

Porém, estes números vão de embate com o cenário que o Brasil enfrenta em relação ao desenvolvimento sustentável. O compromisso brasileiro com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 estão em retrocesso, principalmente devido ao impacto da pandemia de Covid-19.

A ONU separou algumas recomendações para que o Brasil consiga voltar ao caminho do desenvolvimento inclusivo e sustentável, enfrentando as consequências da pandemia de Covid-19. São elas:

  • Revogar o Teto de Gastos;
  • Valorizar o SUS, a educação e as pesquisas;
  • Socorrer famílias em vulnerabilidade;
  • Reforçar a Lei de Acesso à Informação;
  • Combater discriminações.

Dicas para uma vida mais sustentável

Confira a seguir 6 dicas para transformar o seu dia a dia e deixá-lo mais sustentável.

Infográfico com dias sustentáveis para o seu dia a dia. 1.Diminua o tempo de banho - Um minuto a menos economiza no mês o suficiente para carregar 750 vezes o celular durante uma hora. 2.Recicle - Quase todos os materiais podem ser reaproveitados através da reciclagem e compostagem. 3.Faça compostagem - Dá o destino correto a resíduos domésticos, além de produzir adubo para hortas e jardins. 4.Use sacolas retornáveis - Os modelos em algodão cru levam apenas 6 meses para se decompor, enquanto as sacolas plásticas demoram cercas de 300 anos. 5.Escolha marcas sustentáveis para consumir - O consumo consciente é um estímulo para que marcas sejam parceiras do meio ambiente e tenham atitudes mais responsáveis. 6.Ande a pé ou de bicicleta - Você ajudará a reduzir a poluição, os efeitos do aquecimento global e a demanda de recursos naturais.
Dicas sustentáveis para aplicar no dia a dia

Adote um transporte mais sustentável

Ao reduzir o uso do carro, você ajudará a reduzir a poluição na cidade, os efeitos do aquecimento global e até mesmo a demanda de recursos naturais.

Dentre as opções de substituição estão as bicicletas, transportes públicos e até mesmo caminhadas. Caso não seja possível abrir mão do carro, aposte nas caronas. Dessa forma, além de economizar no combustível e ajudar alguém a chegar no seu destino, você estará colaborando para reduzir a quantidade de veículos nas avenidas, reduzindo a poluição.

Tenha um consumo consciente

O consumo consciente leva em consideração fatores como meio ambiente, saúde humana e animal, relações de trabalho por trás do produto, reputação da marca e mais na hora de comprar algo. Além disso, ele é pautado na ideia do aproveitamento total dos recursos adquiridos, garantindo um equilíbrio entre satisfação e sustentabilidade.  

Saiba mais sobre algumas práticas de consumo consciente aqui.

O C6 Bank, como forma de incentivar seus colaboradores a repensarem seus hábitos, lançou o Desafio do Consumo Consciente para celebrar a data, 15 de outubro. Com 21 desafios práticos relacionados a essa temática, ele tem como objetivo auxiliar na formação de hábitos sustentáveis e conscientes nos funcionários da Carbon Holding.

Os participantes vão encontrar pílulas diárias que vão propor cronometrar o tempo do banho, separar o lixo eletrônico e levar em um ponto de descarte adequado, criar um perfil de voluntariado, produzir o próprio desodorante ou sabonete, e muito mais.

Uma avenida limpa e repleta de árvores como uma iniciativa para uma cidade mais sustentável
Incentivar a coleta seletiva é uma maneira de manter a cidade limpa

Pratique e incentive a coleta seletiva

A coleta seletiva é essencial para reduzir os impactos ambientais do consumo já que otimiza os processos de destinação do lixo. Ou seja, ao fazer a separação, há uma diminuição nas chances de impactos nocivos ao meio ambiente e à saúde do planeta.

Portanto, seja na sua casa, condomínio ou até mesmo na sua empresa, distribua as lixeiras coloridas para facilitar o descarte. Confira a seguir as cores que cada recipiente deve receber e o que deve ser colocado em cada um:

  • Azul: papel e papelão;
  • Vermelho: plástico;
  • Verde: vidro;
  • Amarelo: metal;
  • Preto: madeira;
  • Laranja: resíduos perigosos, como pilhas e baterias;
  • Branco: resíduos hospitalares;
  • Marrom: lixo orgânico;
  • Cinza: lixo não reciclável, contaminado ou que não é possível realizar a separação.

Economize água

Esta é uma dica muito simples, mas que muitas pessoas acabam esquecendo no dia a dia. Por isso, feche sempre o chuveiro quando não estiver utilizando. O mesmo serve para as torneiras na hora de lavar a louça ou as mãos.

Além disso, vale realizar a coleta da água de chuva para reutilizá-la na lavagem da garagem e calçada, por exemplo. Outra dica é apostar nos redutores de vazão de água para garantir que não haja um desperdício.

Plante alimentos de forma orgânica

Plantar o próprio alimento é uma forma de reduzir o consumo de recursos naturais que são utilizados no processo de plantio. Além disso, também ajuda a diminuir a poluição causada pelas máquinas nas plantações e a utilização de agrotóxicos.

Se você mora em um condomínio, a dica é incentivar todos os moradores a criar uma horta coletiva para que todos possam desfrutar os benefícios dos alimentos orgânicos.

Dentre os principais benefícios de praticar a agricultura urbana orgânica estão:

  • Redução no desperdício de alimentos;
  • Melhora no aproveitamento de nutrientes e sabor;
  • Redução do consumo de produtos industrializados;
  • Revitalização de espaços ociosos.  

Pratique a compostagem

A compostagem é considerada um tipo de reciclagem do lixo orgânico e a boa notícia é que ela pode ser realizada em qualquer cantinho da sua casa. Nela, microrganismos como fungos e bactérias realizam a degradação de matéria orgânica, transformando-a em um material rico em nutrientes.

Mas atenção: não são todos os materiais orgânicos que podem ser colocados em uma composteira. Os recomendados são restos de alimentos, talos e casca de verduras e frutas não cítricas, cascas de ovo e borra de café.

Confira o passo a passo para fazer sua composteira:

  1. Faça um buraco na terra com 30 cm de profundidade. Utilize placas de madeira ou uma caixa sem fundo para dar suporte;
  2. Coloque os resíduos orgânicos até preencher o espaço. Dica: evite o mau cheiro cobrindo com folhas secas e serragem;
  3. Regue a composteira se fizer muito sol ou calor, pois a umidade acelera a decomposição;
  4. De 15 em 15 dias, revire o material para aerar a mistura;
  5. Depois de algumas semanas o resíduo se transformará em terra escura e fofa.

Pronto! Colocando em práticas essas 6 dicas e repensando todas as suas atitudes você estará no caminho para adotar uma vida mais sustentável e que ajudará na saúde do planeta como um todo.

Agora, você conhece melhor todo o conceito em torno do termo sustentabilidade. Além de saber qual a importância de ter atos mais responsáveis, você também compreende o que pode fazer para reduzir seu impacto.

Gostaria de ler outros conteúdos relacionados ao tema de sustentabilidade? Confira alguns que selecionamos:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.