Segurança

As melhores práticas do mercado para garantir a sua segurança

Segurança no C6 Bank

O C6 Bank adota as melhores práticas do mercado e segue padrões internacionais para garantir a sua segurança.

Como fraude é um assunto muito sério, você também deve ficar sempre alerta.

Lembre-se sempre dessas dicas:

  • O C6 Bank nunca pede seus dados pessoais, nem suas senhas ou código de segurança. Não ligamos nem mandamos e-mail ou mensagem via SMS ou pelas redes sociais pedindo sua senha. Nunca enviamos arquivos anexos em e-mails.
  • Não solicitamos a instalação de programas ou de atualizações de qualquer tipo. Toda atualização é feita diretamente na loja de aplicativos do seu celular.
  • Fique de olho no seu extrato e nas confirmações das transações que enviamos por SMS. Caso identifique uma transação estranha, entre em contato conosco imediatamente. Você pode usar o chat no aplicativo ou os outros canais de atendimento ao cliente informados no site oficial do banco.
  • Nunca anote nem salve as suas senhas bancárias, e use senhas diferentes para o acesso e para as transações.
  • Avise o banco o mais rápido possível se tiver o seu celular ou cartão roubados.

Se você receber uma mensagem com esse tipo de solicitação de dados, pessoais ou sigilosos, desconfie. Se você acredita que passou algum dado bancário para alguém, chame a gente imediatamente. Em caso de dúvida, nos procure pelo chat do app, ligue na nossa central de atendimento ou envie um e-mail para [email protected].


Siga os canais oficiais de comunicação do C6 Bank

Para facilitar a comunicação e oferecer a melhor experiência possível aos nossos clientes, temos perfis nas principais redes sociais. Você pode encontrar a gente nos seguintes canais oficiais:

O C6 Bank não possui outras comunidades ou grupos além dos citados acima. Desconfie de outros perfis, mesmo que eles se identifiquem como “não oficiais”.

Nosso único canal de suporte aos clientes é o Fale Conosco, que pode ser acessado pelo chat no aplicativo, pelo e-mail [email protected] ou por telefone: 3003 6116 para capitais e regiões metropolitanas ou 0800 6606116, para demais localidades.

Tome cuidado se alguém se identificar como funcionário do C6 Bank em qualquer grupo ou rede social, pois pode ser uma pessoa tentando obter suas informações para realizar fraudes. Nenhum funcionário do C6 Bank está autorizado a oferecer ajuda via redes sociais ou aplicativos de comunicação (como Whatsapp e Telegram).


Como o C6 Bank cuida da sua segurança

A sua privacidade é importante pra nós!

As suas informações pessoais e bancárias estão protegidas pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) (Lei nº 13.709/2018) e pela Lei do Sigilo das Operações Bancárias (Lei Complementar nº 105/ 2001). Por isso, o C6 Bank realiza os melhores esforços para proteger a sua privacidade.

De acordo com as legislações vigentes, incluindo a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), o C6 Bank somente coleta os dados cadastrais necessários para prestação de serviços financeiros. Toda coleta de dados de clientes é realizada dentro dos nossos aplicativos e em canais seguros de comunicação utilizando criptografia para garantir o sigilo. Essas informações serão compartilhadas com parceiros estritamente para a realização dos processos do banco e após a garantia de que eles seguem os mesmos padrões de segurança do C6 Bank.

Todas as informações são armazenadas em nossos ambientes tecnológicos com rígidos controles de acesso e monitoramento, além de proteção dos dados armazenados com o uso de criptografia.

Para mais informações sobre o tratamento de dados pessoais relacionados a LGPD, veja nossos "Termos de Uso e Política de Privacidade" ou entre em contato com a nossa central de atendimento.


Segurança do C6 Kick

O C6 Bank toma uma série de cuidados para garantir a segurança das transações feitas pelo C6 Kick. Nossos procedimentos incluem:

  • Sites seguros: todos os links de transações são de sites registrados pelo C6 Bank que usam a criptografia do protocolo https. Nossos links sempre contém o endereço c6kick.com.br ou kickc6.com.br.
  • Identificação: quem recebe o C6 Kick consegue ver o nome e parte do número de telefone de quem enviou o dinheiro. E a única informação que o C6 Bank pede para quem recebe um C6 Kick é a identificação da conta de destino. Nunca vamos solicitar informação de senha da conta corrente nem seus dados de cartão de crédito.
  • Autenticação: nós enviamos um código de validação por SMS antes de aprovar o envio para a conta de destino, para garantir que o valor será transferido para o dono do telefone indicado pelo nosso correntista.
  • Confirmações: você sempre acompanha o andamento das suas transferências pelo C6 Kick. Depois que a transação é realizada enviamos um SMS de confirmação tanto para quem fez o Kick quanto para quem recebeu.

Cada transação do C6 Kick possui uma identificação única e atrelada ao número telefônico do destinatário, podendo ser rastreada pelo banco caso necessário.


Transações com a tecnologia de cartão sem contato

Os cartões de crédito e débito sem contato (que usam a tecnologia "contactless") são uma nova tecnologia de pagamento, com maior facilidade de uso e conveniência, que seguem um rígido padrão de segurança definido pelas bandeiras de cartões. Aliando comodidade com segurança, as bandeiras definiram, como padrão, que não é necessário utilizar a sua senha para compras de até R$ 100,00. Para valores maiores, sempre é necessário digitar a senha do cartão.

O risco de fraudes é estritamente controlado graças a medidas complementares de monitoramento e prevenção. Entre os recursos de segurança dos cartões sem contato, toda comunicação wireless entre o cartão e a maquininha de pagamento é criptografada, garantindo que não possa ser interceptada, e o cartão só é reconhecido se estiver muito próximo da máquina, cerca de 2 centímetros. Essa proximidade garante que o cartão esteja sempre perto do cliente e não possa ser utilizado sem o seu conhecimento. Além do mais, cartões que utilizam a tecnologia de pagamento não transmitem todos os dados de identificação do cartão nem do cliente, evitando que eles sejam roubados por criminosos: o código de segurança não é enviado (aqueles 3 dígitos de segurança no verso do cartão), e assim esses dados não podem ser reutilizados em outra compra. Como medida adicional, o cartão envia para a maquininha uma identificação da transação, que não pode ser reutilizada posteriormente em outra transação. Se ocorrerem diversas transações sem contato em sequência, a senha do cartão será solicitada como uma validação de segurança.

Você também pode optar por bloquear temporariamente o seu cartão do C6 Bank através do aplicativo, toda vez que ele não estiver em uso.


Cuidados de segurança com o PIX

O C6 Bank adota para o sistema de pagamento instantâneo brasileiro (PIX) as mesmas medidas de segurança e prevenção a fraudes que já utiliza para as demais transações financeiras realizadas através do nosso app. Além disso, as transações com o PIX respeitam limites de valores para garantir maior segurança, com limites menores no horário da madrugada.

Em caso de suspeita de fraudes, as transferências com o PIX podem ser suspensas por alguns minutos antes de ser autorizada, para análise adicional pelo nosso time especializado em prevenção a fraudes. Durante o período em que a ordem de pagamento estiver sendo analisada, o cliente tem a opção de cancelamento da transação.

O Pix só funciona dentro do aplicativo móvel (app) ou no Internet Banking do seu banco. Cuidado, pois não existem outros sites nem aplicativos para fazer o cadastro de sua chave, nem para realizar trasações com o Pix. Lembre-se também: antes de realizar uma transação com o PIX, certifique-se que a chave da conta de destino pertence a pessoa com quem você deseja transacionar.


Programa de notificação de bugs no aplicativo do C6 Bank

O C6 Bank mantém um canal para notificação de bugs e vulnerabilidades, em parceria com a empresa americana HackerOne, para encorajar pesquisadores de segurança a nos informarem sobre eventuais problemas e melhorias de segurança.

Esse programa de notificação de bugs está restrito somente a pesquisadores previamente cadastrados na plataforma da HackerOne.

Caso acredite ter encontrado uma vulnerabilidade de segurança nos sites ou aplicativos do C6 Bank, pedimos que você entre em contato imediatamente pelo Fale Conosco.


Cuidados no uso da Internet

Proteja a sua senha

As suas senhas são confidenciais e secretas, portanto não as compartilhe com outras pessoas.

Escolha senhas difíceis de serem adivinhadas (evite palavras óbvias, datas comemorativas e números com sequências simples, como 123456).

Escolha uma senha diferente para cada site ou serviço e evite sempre reutilizar suas senhas mais importantes.

Não anote a sua senha e nunca guarde a senha junto com seu cartão do banco, para evitar o risco de fraudes em caso de perda ou roubo do seu cartão.

Tome cuidado para que outras pessoas não vejam você digitando suas senhas em sites, terminais de compra e caixas eletrônicos.

Lembre-se sempre que o banco nunca pede para o cliente dizer a senha. Quando os bancos pedem senhas, elas devem ser digitadas em canais protegidos, como na tela do aplicativo do banco, no internet banking ou até mesmo no caixa eletrônico.

Por outro lado, às vezes, quando acontece uma transação suspeita, os bancos de fato ligam para confirmar alguns dados da compra. Quando algum funcionário do banco liga para confirmar dados pessoais, como nome completo e CPF, uma boa dica é revelar só uma parte dos dados. Se a pessoa que está ligando é quem realmente ela diz que é, ela também tem esses dados e, enquanto você fala, está conferindo em algum lugar – por exemplo, na tela do computador. Então, em vez de revelar o CPF inteiro, diga só os três primeiros dígitos e peça para a pessoa dizer os três dígitos seguintes. E lembre-se, os atendentes de banco nunca pedem para você confirmar a sua senha!


Cuidado com mensagens e sites falsos (phishing)

Phishing é a tentativa de fraude e roubo de dados através de mensagens falsas enviadas por e-mail, mensagem de texto, aplicativos de mensagem (como o Whatsapp) ou sites falsos. Essas mensagens podem conter links para sites maliciosos ou arquivos com vírus que podem infectar seu computador ou smartphone e dar acesso às suas informações pessoais.

Desconfie de mensagens recebidas com forte apelo emocional, como aquelas informando de um problema urgente no acesso a sua conta ou pedindo atualização de um suposto “módulo de segurança”, convidando para clicar em um link para regularizar a situação. Também desconfie de mensagens com notícias alarmantes ou com promoções muito vantajosas. Esses são temas muito utilizados em mensagens de phishing.

Nunca abra e-mails que pareçam suspeitos ou que tenham origem duvidosa, nem abra arquivos ou clique em links que estejam nesses e-mails.

Evite clicar em links que pareçam suspeitos. Certifique-se de que o endereço do site apresentado em seu navegador tem o mesmo nome que o site visitado.

Veja algumas dicas para ajudar a identificar uma mensagem falsa:

  • Os e-mails, endereços de site ou mensagens de SMS podem ter erros de digitação ou de português.
  • O site falso pede mais informações do que o normal: por exemplo, a senha de login junto com a senha do cartão de débito.
  • O endereço do site falso não é exatamente igual ao site original. Desconfie de caracteres e palavras estranhas no nome do site.
  • O endereço do site no navegador começa com “http” em vez de “https”. O “s” em “https” indica que a conexão está segura e protegida por criptografia, uma técnica que evita que as informações sejam interceptadas.
  • Sites inseguros não têm um pequeno símbolo de cadeado ao lado do nome do site no seu navegador.
  • Mensagens enviadas por SMS pelo C6 Bank são identificadas por um número curto, de 4 dígitos. Desconfie quando você receber um SMS em nome do banco vindo a partir de um número telefônico de celular comum.

Se você receber um e-mail com conteúdo suspeito, encaminhe para [email protected].


Atualize seu software

Mantenha seu computador e seu smartphone sempre atualizados, com a última versão do sistema operacional e dos aplicativos.

Use programas antivírus para ajudar a impedir a instalação de programas mal-intencionados e mantenha o antivírus atualizado.


Evite redes públicas

Não utilize computadores com acesso público para transações financeiras ou para acessar seus dados pessoais, como computadores compartilhados em cafés e hotéis.

Não use redes públicas de WiFi para acessar o Internet Banking e sites com informações pessoais. Certifique-se de que o WiFi utilizado é protegido com o padrão de segurança “WPA 2” (isso pode ser validado nas configurações da rede wireless).

Criminosos podem usar redes WiFi públicas para interceptar informações. Como alternativa, utilize o seu banco pela conexão 3G ou 4G do seu celular.


Compre online, mas com cuidado

Ao realizar compras online, use preferencialmente o cartão de crédito virtual disponível através do app do C6 Bank.

Evite salvar os dados de pagamento e número de cartão de crédito em sites e apps de compras online, principalmente naqueles que você não tem o hábito de comprar com frequência. Sempre verifique a reputação da loja ou do vendedor antes de realizar uma compra online.

Desconfie de sites de compra e de leilão que oferecem preços muito vantajosos. Os criminosos criam sites falsos e divulgam promoções tentadoras para atrair vítimas e roubar suas informações de pagamento. Redobre a atenção ao encontrar na internet anúncios que prometem preços exageradamente diferentes dos praticados no mercado, especialmente para bens como celulares, carros e TVs.


Cuidados extras com o uso do seu celular

Bloqueie sua tela: use um código de bloqueio ou o recurso de biometria do seu celular (por exemplo, sua impressão digital) para evitar que outras pessoas utilizem o seu aparelho, principalmente em caso de perda ou roubo.

Habilite a proteção por senha no seu Whatsapp (acesse o menu “Configurações”, entre em “Conta” e ative a opção “Verificação em duas etapas”). Isso evita que criminosos tenham acesso às suas mensagens se conseguirem transferir a sua linha telefônica para outro celular ou sequestrar o seu Whatsapp.

Certifique-se de sempre baixar os aplicativos bancários e quaisquer outros aplicativos apenas nas lojas oficiais dos fabricantes. Suspeite de novos aplicativos em sites desconhecidos que podem conter vírus e facilitar o acesso ao seu aparelho e aos seus dados.

O aplicativo do C6 Bank não funciona em celulares que passaram por procedimentos para liberar o acesso completo ao aparelho, conhecidos como "jailbreak" (para aparelhos iPhone e iPad) ou "rooting" (nos celulares Android). Esses procedimentos desabilitam várias proteções importantes do seu smartphone, que pode ser facilmente contaminado por vírus e aplicativos maliciosos. Nosso aplicativo não funciona nessas condições para evitar que um criminoso possa ter acesso às suas informações bancárias ou manipular suas transações para fraudar a sua conta.


Cuide de sua privacidade nas redes sociais

Sempre tenha cuidado ao usar suas redes sociais e jamais compartilhe informações pessoais como dados de seus documentos ou de suas contas bancárias. Uma foto do seu cartão de crédito ou de um cartão de embarque aéreo pode ser utilizada por criminosos para obter seus dados.

Verifique as configurações de segurança e de privacidade dos seus aplicativos de redes sociais, para que somente pessoas conhecidas tenham acesso as suas informações pessoais e dados de contato. Revise a privacidade das suas publicações e evite compartilhar informações pessoais em demasia. Use senhas fortes e, sempre que possível, configure um segundo fator de autenticação para evitar que criminosos tenham acesso ao seu perfil.


Previna-se contra fraudes

Confira as transações na sua conta

Fique sempre de olho no seu extrato e nos avisos que enviamos por SMS a cada transação realizada com o seu cartão do C6 Bank.

Informe imediatamente o banco, por meio dos canais de atendimento, qualquer transação incomum, suspeita ou desconhecida na sua conta ou cartão de crédito. Você pode acompanhar as movimentações em tempo real no aplicativo do C6 Bank.


Avise imediatamente se tiver o celular furtado ou perdido

Avise a central de relacionamento do C6 Bank se você perder ou tiver o seu celular furtado. Assim, nossa central bloqueia temporariamente o acesso a sua conta a partir do celular antigo, evitando que o criminoso tenha acesso a sua conta bancária e faça transações em seu nome.

Lembre-se de registrar um Boletim de Ocorrência (BO) em uma delegacia mais próxima ou online e avise a sua operadora de celular sobre a perda ou furto do aparelho.

Você mesmo pode voltar a acessar a sua conta por meio de um novo aparelho, pois temos um processo fácil e confiável para validar quando ocorre a troca de dispositivo. No primeiro acesso com o celular novo, clique em “Já tenho conta” e forneça o seu CPF e sua senha de acesso. Em seguida nós iremos te perguntar: “Você trocou de dispositivo?”. Nessa mesma tela é só tocar em “Solicitar agora” e, em seguida, será realizada uma validação biométrica, com uma selfie, para garantir a sua identidade e permitir que volte a utilizar a sua conta a partir de um novo aparelho celular.

Lembre-se: para realizar a troca do aparelho, utilizamos biometria facial para garantir a sua identidade e evitar fraudes. Por isso, a ativação do acesso à conta do C6 Bank em um novo aparelho deve ser feita apenas pelo titular da conta.


Cuidado com perfis falsos nas redes sociais

Cuidado com os perfis falsos que tentam se passar pelo C6 Bank nas redes sociais. Eles podem entrar em contato com clientes para pedir seus dados pessoais, senhas de acesso ou os códigos de validação, abrindo a oportunidade para fraudes.

O C6 Bank não pede essas informações, por isso, desconfie. Somente entre em contato conosco pela nossa central de relacionamento e pelos canais oficiais do C6 Bank nas principais redes sociais.


Cuide bem do seu cartão bancário

Ao utilizar o seu cartão em um estabelecimento comercial, mantenha-o sempre à sua vista. Preste atenção se o atendente se afastar com o seu cartão, sob qualquer pretexto, e sempre confira o cartão na devolução, para evitar que entreguem um cartão trocado.

Verifique o valor da transação antes de digitar a senha e confirmar o pagamento.

Ao digitar o PIN do seu cartão, tome cuidado para que ninguém veja ou grave a sua senha.

Peça o comprovante da transação ou verifique a mensagem de confirmação recebida por SMS para conferir se o nome do estabelecimento e o valor estão corretos.

Em caso de perda ou roubo do seu cartão, entre em contato imediatamente com os canais de atendimento ao cliente e solicite o cancelamento do cartão. Bloqueie o uso do cartão pelo nosso app. Em caso de roubo, registre um BO em uma delegacia ou online.

Nunca tire foto do seu cartão e tome cuidado para não compartilhar o número, validade ou CVV (o código de segurança de 3 dígitos no verso do seu cartão).

Ao descartar o seu cartão de crédito ou débito, use uma tesoura para cortar o chip e a tarja magnética. Jamais descarte o seu cartão inteiro.

No aplicativo do C6 Bank, você pode bloquear temporariamente seu cartão. Use esse recurso se identificar alguma transação suspeita ou perder o seu cartão.

Em caso de perda do seu cartão, bloqueie seu uso imediatamente pelo aplicativo do C6 Bank. Se tiver seu cartão roubado, além de bloquear o seu cartão no app, registre um Boletim de Ocorrência (BO) e entre em contato conosco imediatamente.


Evite fraude no pagamento de boletos

Ao pagar um boleto de cobrança, verifique sempre se os dados do “Beneficiário” correspondem a quem emitiu o boleto e vendeu o produto ou serviço.

Verifique sempre se o logotipo do banco que está impresso no cabeçalho do boleto corresponde ao código do banco, indicado nos 3 primeiros dígitos da linha com o número do código de barras (linha digitável). Em caso de boletos de consumo (água, luz, telefone, etc) , verifique também se o código de barras é semelhante ao das contas anteriores, e desconfie se os 3 primeiros números do código for a identificação de um banco. Criminosos estão criando boletos falsos em nome das principais empresas de telefonia e bens de consumo.

Desconfie se o código de barras estiver ilegível ou tiver falhas que impossibilitem a sua leitura, como espaços excessivos entre as barras. Caso você suspeite de um boleto de cobrança, consulte diretamente a empresa que o emitiu e peça para conferirem a linha digitável.

Evite imprimir boletos, pois os golpistas podem adulterar os dados de pagamento durante a impressão. Prefira pagar via app, lendo o código de barras direto no arquivo em PDF do seu boleto. E não se esqueça de manter seu antivírus atualizado.

Jamais negocie descontos e multas de boletos com pessoas estranhas ou em sites que não sejam do próprio banco emissor.


Cuidado com o Golpe do Whatsapp

Nesse golpe, os criminosos conversam com parentes e amigos da vítima via Whatsapp e conseguem pedir dinheiro emprestado, aproveitando a sensação de confiança. A fraude começa quando o criminoso clona a conta de Whatsapp, geralmente, após sequestrar o número telefônico ou quando entra em contato direto com o dono da linha e o engana para conseguir obter o código de ativação do Whatsapp.

Com o Whatsapp clonado, o fraudador conversa com os contatos, em nome da vítima, e inventa uma história mirabolante para pedir dinheiro emprestado. A vítima, crente que está conversando com uma pessoa conhecida, transfere o dinheiro para uma conta de terceiro, informada pelo criminoso.

Por isso, sempre desconfie se alguém te pedir ajuda financeira pelo Whatsapp. Se preciso, faça uma chamada de voz ou vídeo, para ter certeza de que está conversando com a pessoa verdadeira.

Para evitar que o seu Whatsapp seja clonado, cadastre uma senha de 6 dígitos por meio do recurso de “Autenticação em Duas Etapas” do aplicativo (vá na tela de “Ajustes”, escolha a opção de “Conta” e, em seguida, “Verificação em Duas Etapas”). Mas evite colocar uma senha fácil de ser adivinhada. Essa senha será solicitada sempre que acessar seu Whatsapp em outro aparelho celular ou pelo computador (no Whatsapp Web).


Golpe da falsa central de atendimento

Nesse golpe, os criminosos ligam ou enviam mensagem como se fossem da central de atendimento de seu banco. Para chamar a sua atenção, normalmente dizem que você sofreu uma fraude e que precisam confirmar seus dados para impedir que a suposta fraude aconteça. Na verdade, eles pedem a sua senha e código de confirmação para ter acesso a sua conta e, assim, realizar uma fraude de verdade.

Nunca passe informações pessoais e de sua conta bancária, e nem clique em links suspeitos!

Lembre-se: o C6 Bank nunca pede sua senha ou código de segurança por telefone, SMS ou redes sociais.

Se você acredita que passou algum dado bancário para alguém, chame a gente imediatamente pelo chat do app ou ligue na nossa central de atendimento.


A falsa ligação da central de atendimento por telefone fixo

Esse golpe aproveita que as chamadas em telefones fixos só são desligadas pela pessoa que originou a ligação. Por isso, tenha muito cuidado se receber uma ligação no seu telefone fixo com alguém que diz que trabalha para seu banco.

Os criminosos ligam para o telefone fixo de clientes como se fossem da central de atendimento de seu banco, normalmente avisando que tem transações suspeitas na sua conta ou que você sofreu uma fraude. Para ganhar a sua confiança, pedem que você ligue no telefone da Central de Atendimento do banco, que consta no verso do cartão ou no site do banco. Mas, nessa hora, os fraudadores não encerram a ligação. Eles seguram a linha e, quando você tenta ligar para a central, na verdade você está a mesma ligação com o fraudador, sem perceber. Assim o fraudador consegue se passar por um atendente do banco, ganhar a sua confiança e roubar os seus dados.


Fique de olho no golpe do motoboy

Nesse golpe, os criminosos enviam um motoboy para buscar o cartão de débito ou de crédito da vítima na casa do cliente. Os fraudadores ligam para o cliente dizendo que são da central de atendimento do seu banco e inventam uma história de que o cartão foi fraudado ou clonado.

O falso atendente, então, avisa que o cartão foi bloqueado por medida de segurança e que o banco já emitiu um novo. Em seguida, ele oferece um serviço exclusivo de retirada do cartão, via motoboy. Para confirmar a operação, o falso atendente pede para o cliente digitar a senha e transfere para uma falsa central telefônica, que captura a senha digitada.

Ao final, o criminoso vai até a casa do cliente fingindo ser um motoboy do banco e retira o cartão que, em seguida, será utilizado normalmente em compras fraudulentas.

Lembre-se: banco nenhum jamais envia um motoboy para retirar o cartão do cliente. Caso o seu cartão precise ser descartado, destrua ele fisicamente, utilizando uma tesoura para cortar o plástico, e corte também o chip e a tarja magnética. Jamais descarte o seu cartão inteiro.


Golpe da troca de cartão

Esse é um golpe muito comum em ambulantes e, principalmente, durante grandes eventos, aproveitando a maior distração da vítima. Mas também pode acontecer em comércios tradicionais, como lojas, restaurantes e postos de gasolina.

Quando você faz uma compra e vai pagar com o seu cartão, o golpista aproveita para memorizar a sua senha. Na hora de devolver o cartão, ele aproveita a sua distração, devolve outro cartão e fica com o seu cartão original.

Para evitar esse golpe, sempre use a maquininha virada para você, sem que ninguém mais possa ver a sua senha e confira com cuidado se recebeu o seu cartão de volta.

Gostou desse conteúdo?

Veja também a cartilha que preparamos sobre os tipos de fraudes mais comuns.

CLIQUE AQUI