Leitura de 2 min

C6 Pay terá Pix grátis por 2 anos

Ampliação da gratuidade da taxa, antes de três meses, é parte da estratégia do banco de se adaptar para crescimento da adoção do Pix no varejo

Atualizado em

Consumidor realizando um pagamento por meio do Pix QR Code na maquininha C6 Pay Smart

Os pagamentos feitos com Pix de pessoas para empresas têm avançado no país. Segundo o Banco Central, o número de transações Pix de pessoas físicas para pessoas jurídicas cresceu 148% no primeiro trimestre deste ano, passando de 14,1 milhões, em janeiro, para 35 milhões em março. O número de transferências e pagamentos entre pessoas físicas, avançou 82% neste período.

A tendência é que o crescimento se acelere nos próximos meses, segundo Philippe Katz, CEO da PayGo, empresa de meios de pagamento do C6 Bank. A empresa, que oferece a maquininha C6 Pay, permite o pagamento por Pix no equipamento desde novembro de 2020.

A meta da PayGo é ganhar espaço nos pagamentos com a nova tecnologia. E uma das estratégias para atrair as empresas é a adoção de uma política de preços agressiva. A PayGo ampliou de três meses para dois anos a isenção de tarifa nas transações com Pix, para clientes que recebem as vendas pela conta do C6 Bank. Passado esse período, o varejista terá direito a 100 transações gratuitas por mês e a partir do 101º pagamento, cada transação terá um custo de R$ 0,15. Hoje, alguns bancos têm cobrado de 1,2% a 2% do valor das vendas feitas com Pix.

Outra aposta da companhia é uma ferramenta de conciliação das transações, em que o empreendedor pode conferir o fluxo financeiro que chega via Pix e por cartões no portal do cliente, sem custo adicional.

“Ainda há muito espaço para crescimento quando falamos de Pix no âmbito da pessoa jurídica. Enquanto 77% das operações de Pix ocorrem entre pessoas, só 11% envolvem transferências de pessoas para empresas e apenas 3% são entre empresas”, diz Katz