Leitura de 3 min

Copom indica manutenção do ritmo de queda dos juros

Leia a íntegra da análise da equipe econômica do C6 Bank

Atualizado em

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira (13) a queda da taxa básica de juros para 11,75%.

Leia a íntegra da análise da equipe econômica do C6 Bank, liderada pelo economista-chefe, Felipe Salles:

Nota Pós-Copom: Copom indica manutenção do ritmo de queda dos juros

O Banco Central do Brasil (BCB) reduziu a taxa Selic de 12,25% para 11,75% nesta quarta-feira (13). O Comitê de Política Monetária (Copom) continuou afirmando que “a conjuntura atual, caracterizada por um estágio do processo desinflacionário que tende a ser mais lento, expectativas de inflação com reancoragem apenas parcial e um cenário global desafiador, demanda serenidade e moderação na condução da política monetária”.

As projeções de inflação do BCB no cenário de referência (que considera juros de 9,25% ao fim de 2024 e de 8,5% ao fim de 2025) registraram leve queda, passando de 4,7% para 4,6% para 2023 e de 3,6% para 3,5% para 2024. A previsão para 2025 ficou estável, em 3,2%. As projeções de inflação situam-se acima da meta para 2024 e ligeiramente acima da meta para 2025.

O texto manteve o balanço de riscos inalterado e suavizou o risco relacionado ao cenário externo, afirmando que “o Comitê avalia que a conjuntura, em particular devido ao cenário internacional, segue incerta e exige cautela na condução da política monetária”. Além disso, o Copom retirou o trecho em que falava que a inflação seguia acima do intervalo compatível com o cumprimento da meta e afirmou que “a inflação cheia ao consumidor, conforme esperado, manteve trajetória de desinflação, com destaque para as medidas de inflação subjacente, que se aproximam da meta para a inflação nas divulgações mais recentes”. Essa mudança indica que o Comitê está um pouco mais satisfeito com o grau de desinflação ocorrido.

Sobre o tema fiscal, o Copom seguiu afirmando que “tendo em conta a importância da execução das metas fiscais já estabelecidas para a ancoragem das expectativas de inflação e, consequentemente, para a condução da política monetária, o Comitê reafirma a importância da firme persecução dessas metas”.

O comunicado manteve o plano de voo ao seguir sinalizando que “em se confirmando o cenário esperado, os membros do Comitê, unanimemente, anteveem redução de mesma magnitude nas próximas reuniões e avaliam que esse é o ritmo apropriado para manter a política monetária contracionista necessária para o processo desinflacionário”. Ou seja, o texto sinaliza mais duas quedas de 50 pontos-base nas reuniões de janeiro e março, em linha com a nossa projeção. Projetamos Selic em 9,25% ao final de 2024. Aguardamos a ata da reunião, que será divulgada na próxima terça-feira (19), para termos mais detalhes sobre os rumos futuros da política monetária.

Equipe Econômica C6 Bank:

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.
Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.
Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:
(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;
(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.
Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.
Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.
O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.