Leitura de 9 min

Resumo semanal: desemprego estável após 17 meses de queda

Confira as principais notícias da semana, segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank

Atualizado em

Confira as principais notícias da semana (16/1-20/1), segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank. Leia a íntegra do relatório.

Internacional

Estados Unidos: mercado de trabalho sólido apesar da desaceleração da atividade

A economia segue perdendo fôlego. Os indicadores regionais de atividade industrial do Federal Reserve (Fed) da Filadélfia e de Nova York, apresentaram sinais mistos em janeiro. Em comum, podemos destacar que a atividade permanece em território negativo, com a demanda permanecendo fraca, os preços desacelerando – mas ainda elevados – e mercado de trabalho aquecido.

Segundo dados do Fed para a atividade nacional, a produção industrial nos Estados Unidos contraiu pelo segundo mês consecutivo em dezembro, registrando queda de 0,7% em relação ao mês anterior. Houve redução na utilização da capacidade instalada, atualmente em 78,8%. As vendas no varejo também tiveram retração. O índice contraiu 1,1% em dezembro, frente ao mês anterior, segundo o Departamento de Comércio. No entanto, apesar da queda no dado no mês, o nível de vendas permanece bem acima da tendência pré-pandemia.

O setor imobiliário segue em retração. Os índices de construção de novas moradias e de permissão para construir tiveram queda de 1,4% e 1,6%, respectivamente, em dezembro frente ao mês anterior, segundo o Departamento de Comércio. Outro dado sobre o setor imobiliário, o índice de confiança das construtoras (NAHB Housing Market Index) subiu 4 pontos em janeiro. Apesar do aumento no mês, a confiança do setor segue muito abaixo do patamar pré-pandemia. Em 2022 o índice apresentou queda em todos os meses do ano, totalizando uma retração de 53 pontos, com o aperto da política monetária do Banco Central americano causando aumentos nas taxas de hipotecas, um dos principais motivos da desaceleração do setor.

Apesar da desaceleração da atividade, o mercado de trabalho continua aquecido. Os pedidos iniciais de seguro-desemprego continuam em níveis baixos para padrões históricos, em 190 mil na semana encerrada em 14 de janeiro, 15 mil abaixo da semana anterior.

A inflação ao produtor segue baixa, refletindo a queda nos preços das commodities e normalização da inflação de bens. O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) caiu 0,5% em dezembro frente ao mês anterior. Houve queda nos preços de energia e alimentos. O núcleo (excluindo alimentos e energia) desacelerou para 0,1% no mês. Nos últimos 12 meses, o PPI continuou desacelerando e acumula alta de 6,2%.

Europa: Banco Central indica necessidade de mais altas de juros

O conflito entre Rússia e Ucrânia está no décimo primeiro mês. Conflitos continuam principalmente no leste e sul do país, com relatos de que tropas ucranianas têm sido bem-sucedidas em repelir avanços russos nas regiões. Na sexta-feira, Ministros da Defesa de diversas nações se reuniram na Base Aérea de Ramstein, na Alemanha. O encontro reuniu aproximadamente 50 países para discutir medidas de auxílio para a defesa da Ucrânia. Antes da reunião, diversas nações anunciaram envio de armamentos para a Ucrânia, com destaque para os Estados Unidos que anunciaram doações de equipamentos no valor total de US$ 2,5 bi.

Preços do petróleo mais altos. Entre os dias 13 e 19 de janeiro, o preço do petróleo subiu 1,0%, com os preços da commodity sob influências opostas à recuperação chinesa e desaceleração da economia global. O preço do gás natural apresentou queda de 6,3% no mesmo período, apesar da volatilidade dos preços em função de temperaturas mais frias na Europa nesta semana e expectativas para a próxima semana de que o clima voltará a ficar mais ameno – o preço da commodity está 28,7% abaixo da média de janeiro de 2022 (pré-guerra). Os riscos de recessão na Europa continuam sendo aliviados por importações de LNG e estoques, que permanecem elevados.

O Banco Central Europeu (BCE) divulgou a ata da reunião de dezembro, quando foi decidido um aumento de 50 pontos-base nas taxas de juros, uma redução no ritmo de aumentos em relação à reunião anterior. Conforme a ata, inicialmente vários membros defendiam aumento de 75 pontos-base, no entanto, houve consenso em reduzir o ritmo para 50 pontos-base, com perspectiva de mais aumentos caso necessário, além de uma redução na posição em títulos do ECB. Falas recentes de membros do conselho do BCE reiteram a necessidade de aumentos adicionais nas taxas de juros diante dos núcleos da inflação, que seguem elevados. Apesar de não haver consenso entre os membros sobre a magnitude do próximo aumento, esperamos alta de 50 pontos-base na reunião de fevereiro, em linha com a sinalização dada pelo Banco Central na última reunião.

No Reino Unido, o mercado de trabalho segue apertado. Segundo o Departamento de Estatísticas Nacional, em dezembro a taxa de desemprego permaneceu em 3,7%, com a participação na força de trabalho em 63,1%, continuando abaixo do nível pré-pandemia. As contratações continuaram expandindo, embora abaixo das expectativas de mercado, e os salários (excluindo bônus) aceleraram para 6,4% na variação em 12 meses. O número de vagas em aberto por desempregado continuou elevado, próximo ao máximo da série.

A inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) segue pressionada. O índice subiu 0,4% em dezembro frente ao mês anterior, com queda no preço de energia (-1,8%), enquanto alimentos continuaram subindo (1,6%). O núcleo (exclui alimentos e energia) acelerou 0,5%. Em 12 meses, a inflação acumula alta de 10,5% e o núcleo de 6,3%.

A atividade segue perdendo força. As vendas do varejo (excluindo automóveis) apresentaram queda (-1%) em dezembro frente ao mês anterior, contrariando expectativas do mercado de que haveria expansão. Desde o início do ano, as vendas têm seguido uma trajetória de enfraquecimento.

China: temores de alta nas infecções

Começará neste fim de semana o Ano Novo Lunar, um dos maiores e mais importantes feriados nacionais da China, entre os dias 21 e 27 de janeiro. Com a flexibilização das restrições à circulação, é esperado que deslocamentos e consumo terão aumento significativo, levantando temores sobre os possíveis aumentos de infecções por Covid-19, principalmente na população idosa.

Atividade fraca em dezembro, mas melhor do que o esperado. Segundo dados do Escritório Nacional de Estatística (NBS, na sigla em inglês), a produção industrial desacelerou, crescendo 1,3% frente ao mesmo mês do ano anterior, refletindo menores exportações. As vendas no varejo contraíram 1,8%, desempenho significativamente melhor que a expectativa de mercado, que era de uma retração de 9%. A taxa de desemprego urbano caiu para 5,5%.

O investimento em ativos fixos (FAI, na sigla em inglês) desacelerou para 5,1% nos doze meses do ano frente ao ano anterior. Os investimentos em infraestrutura e em manufaturas seguem firmes. No entanto, investimentos imobiliários continuam contraindo em razão de dificuldades enfrentadas pelo setor. As vendas de imóveis residenciais tiveram queda de 28,3% no período. O preço médio de casas novas em 70 cidades chinesas continuou cedendo, diminuindo 0,25% em dezembro frente ao mês anterior. É o 16º mês consecutivo de queda nos preços de casas.

O PIB teve crescimento de 2,9% no 4T22 comparado ao mesmo período do ano anterior, segundo o Departamento Nacional de Estatísticas da China (NBS, na sigla em inglês). O desempenho foi significativamente melhor que o esperado pelo mercado, que previa que as medidas de restrição à circulação ainda vigentes tivessem peso maior sobre a atividade, prevendo expansão de 1,6%. Em decisão no início da semana, o PBOC manteve inalteradas as taxas de juros de curto prazo (LPR 1 ano) e de longo prazo (LPR 5 anos), conforme esperado. A LPR 1 ano permaneceu em 3,65% e a LPR 5 anos em 4,3%. As taxas de médio prazo também permaneceram inalteradas em 2,75%. A moeda chinesa tem ganhado força, com expectativas positivas quanto à retomada do crescimento.

Brasil

Focus: expectativas de inflação subindo no longo prazo

A projeção para o IPCA apresentou alta para 2023 (de 5,36% para 5,39%), permaneceu estável para 2024 (em 3,7%) e subiu para 2025 (de 3,3% para 3,5%). Os números esperados para o Produto Interno Bruto (PIB) permaneceram praticamente inalterados para 2023 (de 0,78% para 0,77%) e ficaram estáveis para 2024 (em 1,5%). A taxa Selic subiu de 12,25% para 12,5% para 2023, ficou estável em 9,25% para 2024 e subiu de 8% para 8,25% para 2025. As projeções estão no Boletim Focus, relatório do Banco Central que reúne a expectativa das instituições financeiras em relação aos principais indicadores econômicos do país.

Atividade: taxa de desemprego estável em novembro

A taxa de desemprego da PNAD Contínua no trimestre terminado em novembro veio em linha com o esperado pelo mercado e levemente acima da nossa projeção, atingindo 8,1%. Na série com nosso ajuste sazonal, o indicador permaneceu estável em 8,5%, interrompendo uma sequência de 17 quedas consecutivas. A taxa apresentou um recuo acentuado desde o pico em novembro de 2020 (15,1%), refletindo principalmente a recuperação do PIB de serviços. A pesquisa mostrou também leve queda na ocupação e na população economicamente ativa (PEA) no mês, mas o rendimento médio real habitual registrou alta (1%). A massa salarial real habitual mostra forte expansão nos últimos meses, impulsionada pela recuperação do emprego. O crescimento da economia até agora foi suficiente para levar a taxa de desemprego para níveis próximos do neutro, o que reforça o cenário de queda lenta da inflação. Nossa expectativa é que a taxa de desemprego (ajustada sazonalmente) volte a subir moderadamente até 2024. Para 2023, a taxa deve encerrar o ano em 9%.

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.