Leitura de 9 min

Resumo semanal: inflação nos EUA perde fôlego

Confira as principais notícias da semana, segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank

Atualizado em

C6 Bank Felipe Salles. Foto: Germano Lüders

Confira as principais notícias da semana (7/11-11/11), segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank. Leia a íntegra do relatório.

Internacional

Estados Unidos: CPI de outubro abaixo do previsto

A inflação desacelerou. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,4% em outubro frente ao mês anterior, de acordo com o Departamento do Trabalho. O núcleo do índice (exclui alimentos e energia) cresceu 0,3% no mesmo período, com queda no preço de bens e menor crescimento no preço de serviços. Preços de aluguéis, que costumam ser mais persistentes, continuaram subindo. Em 12 meses, o CPI acumula alta de 7,7% e o núcleo de 6,3%, ainda bem elevados.

O índice de otimismo das pequenas empresas, medido pela Federação Nacional de Empresas Independentes (NFIB, na sigla em inglês), diminuiu 0,8 ponto para 91,3 em outubro, permanecendo bem abaixo do nível pré-pandemia. Um número maior de empresas reportou pressões inflacionárias e dificuldades na contratação de trabalhadores qualificados.

O mercado de trabalho segue forte. Em relatório semanal, os pedidos iniciais de seguro-desemprego continuam em níveis baixos para padrões históricos, em 225 mil na semana encerrada no dia 5 de novembro, 7 mil acima da semana anterior.

Europa: Reino Unido encolhe no 3T22

O conflito entre Rússia e Ucrânia se estende e entrou no nono mês. Bombardeios russos continuam principalmente no leste do país. A infraestrutura de energia ucraniana foi severamente danificada e o fornecimento de energia está precário em várias regiões do país, inclusive na capital, Kiev. Contraofensivas ucranianas continuam e russos devem deixar Kherson, primeira grande cidade tomada durante a invasão. Ajuda militar e financeira à Ucrânia continua por parte dos países aliados. O conflito entre Rússia e Ucrânia se estende por mais tempo do que era previsto.

Os preços das commodities seguem com alta volatilidade. Entre os dias 4 a 10 de novembro, o preço do petróleo recuou, refletindo um cenário global de desaceleração da atividade econômica. O gás natural ficou praticamente estável com estoques elevados no continente europeu e temperatura amena.

As vendas no varejo cresceram moderadamente em setembro, depois de enfraquecimento nos três meses anteriores; o aumento foi de 0,4% frente ao mês anterior. O índice tem sido possivelmente impactado pela inflação elevada, que diminui o poder de compra dos consumidores e pesa negativamente sobre as vendas.

No Reino Unido, a economia contraiu 0,2% no 3T22 em relação ao trimestre anterior, com ajuste sazonal, de acordo com a primeira estimativa do Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês). Houve queda no consumo privado no período. No mês de setembro, a atividade encolheu 0,6% frente ao mês anterior, com contração maior no setor de serviços (-0,8%). A queda em setembro sinaliza uma piora do desempenho da economia no fim do 3T e é consistente com uma economia em recessão.

China: política de Covid zero tem flexibilização parcial

O governo anunciou algumas medidas de flexibilização para a política de Covid zero. Apesar de reiterarem o compromisso com a política, justificaram as alterações como necessárias para equilibrar o controle da pandemia e o desenvolvimento econômico, enfatizando uma adaptação às novas características do vírus. Dentre as medidas, foi reduzido o tempo de quarentena de pessoas em áreas de risco ou que tiveram contato com pessoas infectadas, abolida a testagem em massa na maioria das áreas, mencionada a necessidade de aumentar unidades de tratamento intensivo e medicamentos e acelerar a vacinação de idosos. As medidas não devem ter impacto econômico expressivo, mas sinalizam um possível fim da política de Covid zero no início do próximo ano.

O número de casos de Covid-19 aumentou, chegando a mais de 10.000 no fim da semana, mais de três vezes a média da semana anterior. O número de áreas de risco também subiu e segue elevado, o que significa que restrições à mobilidade aumentaram em várias áreas. Os casos estão principalmente concentrados em três províncias, Hainan, Guangdong e Mongólia Interior. A China tem adotado lockdowns por distritos, evitando restrições mais severas em cidades inteiras, mas o controle sobre a circulação de pessoas quando casos aumentam traz dificuldades para a economia.

A balança comercial registrou superávit bem menor do que o esperado, ficando em US$ 85,2 bilhões em outubro, com queda nas exportações e importações. Exportações encolheram 0,3% frente ao mesmo mês do ano anterior, com menor fluxo comercial para vários destinos e produtos em meio a desaceleração das economias. Problemas operacionais em portos chineses em razão de surtos de Covid-19 também pesaram sobre o fluxo de mercadorias. As importações contraíram 0,7% no mesmo período.

O fluxo de crédito agregado diminuiu de RMB 3,5 trilhões em setembro para RMB 908 bilhões em outubro, segundo o Banco Central da China (PBOC, na sigla em inglês), ficando bem abaixo do esperado. Houve queda no empréstimo às famílias e empresas e menor emissão de títulos públicos. No geral, a demanda por crédito permaneceu fraca, apesar de esforços do governo para estabilizar o crescimento.

A inflação veio abaixo do esperado. O índice de preços ao consumidor (CPI) desacelerou para 2,1% em outubro frente ao mesmo mês do ano anterior, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas chinês (NBS, na sigla em inglês), refletindo desaceleração no preço de energia; o núcleo do índice (que exclui alimentos e energia) continuou fraco refletindo menores gastos com bens de consumo e serviços em meio a surtos de Covid-19. O índice de preços ao produtor (PPI) teve queda de 1,3% no mesmo período, a primeira desde 2020.

Brasil

Focus: expectativa de inflação para 2024 permanece estável

A projeção para o IPCA apresentou leve alta para 2022 (de 5,61% para 5,63%) e ficou estável tanto para 2023 (em 4,94%) quanto para 2024 (em 3,50%). O número esperado para o Produto Interno Bruto (PIB) ficou estável para 2022 (em 2,76%) e registrou alta para 2023 (de 0,64% para 0,70%). A taxa Selic ficou estável em 13,75% para o final deste ano, em 11,25% para 2023 e em 8% para 2024. As projeções estão no Boletim Focus, relatório do Banco Central que reúne a expectativa das instituições financeiras em relação aos principais indicadores econômicos do país.

Atividade: varejo e serviços registram alta em setembro

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) de setembro mostrou expansão de 1,5% frente ao mês anterior no volume de vendas no comércio varejista ampliado, resultado abaixo do que nós projetávamos, mas acima da expectativa do mercado. A composição do indicador mostra que os segmentos sensíveis ao crédito ficaram de lado no mês, enquanto aqueles mais sensíveis à renda registraram alta. O aumento da massa salarial e a deflação dos últimos meses podem justificar a resiliência do indicador.

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) de outubro registrou expansão de 0,9% no volume de serviços na comparação mensal. O dado veio acima das expectativas do mercado e da nossa projeção. A alta veio disseminada entre os setores. O segmento de serviços prestados às famílias – o mais afetado pelas restrições de mobilidade – registrou alta de 1,0% no mês e se encontra 3,6% abaixo do nível pré-pandemia. Com o resultado do setor de serviços e de vendas no varejo, projetamos uma leve alta de 0,3% para o PIB no 3º trimestre em relação ao trimestre anterior. Mantemos a projeção para o PIB de 2,3% para 2022 e de 0% para 2023. A alta na massa salarial e a deflação observada nos últimos meses podem estar contribuindo para a resiliência do setor de serviços. À frente, a alta de juros e a desaceleração global devem comprometer a expansão da atividade até o final do ano que vem.

Inflação: IPCA volta a registrar variação positiva e deve fechar o ano em 5,6%

O IPCA de outubro registrou alta de 0,59% – acima do que nós (0,50%) e o mercado (0,49%) esperávamos. O índice acumula alta de 6,47% na variação em 12 meses e mostra desaceleração. Depois de três meses de deflação, a inflação voltou ao terreno positivo e mostra que os efeitos da redução do ICMS sobre combustíveis, energia e telecomunicações começaram a ficar para trás. Em 12 meses, a inflação de serviços acumula alta de 8,1% e ainda não mostra tendência clara de desaceleração. A inflação de bens industriais está em queda e acumula alta de 10,8% na mesma métrica. Seguimos projetando IPCA de 5,6% em 2022 e de 5,7% para 2023. A inflação de preços livres (que exclui administrados) deve continuar desacelerando a passos lentos.

O IGP-DI registrou deflação de 0,62% em outubro e acumula alta de 5,59% em 12 meses – trajetória de desaceleração. A composição dos índices de atacado mostrou o IPA agrícola com queda de 1,79% frente à queda de 1,2% no mês anterior. O núcleo do IPA industrial – que inclui apenas os itens relacionados à inflação de bens industriais do IPCA, excluindo alimentos, combustíveis e minério de ferro – registrou queda de 0,27% ante queda de 0,53% em setembro. No acumulado em 12 meses, o indicador acumula alta de 8,22% para o núcleo de bens industriais e de 4,3% para o IPA agrícola – ambos em trajetória de desaceleração. À frente, o IPA agrícola deve voltar a apresentar alguma alta enquanto o núcleo dos bens industriais deve desacelerar no acumulado em 12 meses.  

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.