Leitura de 9 min

Resumo semanal: atividade desaponta na China

Confira as principais notícias da semana, segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank

Atualizado em

Confira as principais notícias da semana (15/8-19/8), segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank. Leia a íntegra do relatório.

Internacional

Estados Unidos: Fed sinaliza possível redução no ritmo de aumento de juros

O banco central americano (Federal Reserve – Fed) divulgou a ata da última reunião, realizada em meados de julho. O texto mostrou que a decisão de um aumento na taxa de juros em 75 pontos-base foi unânime. Os membros do comitê de política monetária reafirmaram forte compromisso em trazer a inflação para a meta de 2% ao ano. Reconhecem que a política monetária firme pode reduzir o ritmo de crescimento econômico por um tempo, mas consideram que a volta da inflação para a meta é chave para alcançar o máximo emprego de forma sustentável. Indicaram que mais aumentos nos juros serão apropriados, mas pode ser desejável reduzir o ritmo e avaliar os efeitos da política monetária já implementada. Sinalizaram que para a próxima reunião, em 21 de setembro, o aumento nos juros dependerá dos dados.

Setor imobiliário segue com sinais de contração. Os índices de permissão para construir novas unidades e de construção de novas moradias encolheram 1,3% e 9,6%, respectivamente, em julho, segundo o Departamento de Comércio, sinalizando menor demanda em meio às taxas de hipoteca elevadas. A venda de casas usadas contraiu 5,9% no mesmo período, segundo a Associação Nacional de Corretores de Imóveis (NAR, na sigla em inglês). Este foi o sexto mês consecutivo de queda, trazendo o nível de vendas para o menor patamar em 2 anos. Os estoques de casas disponíveis para venda têm aumentado, mas seguem baixos, e ainda pressionam preços. A confiança das construtoras (NAHB Housing Market Index) teve queda de 6 pontos, recuando para 49 em agosto. Desde o início do ano, o setor tem desacelerado, indicando que taxas de hipotecas mais altas tem pesado sobre vendas e otimismo das empresas.

As vendas no varejo permaneceram estáveis em julho em relação ao mês anterior, segundo o Departamento de Comércio. As vendas continuam acima da tendência pré-pandemia. A produção industrial cresceu 0,6% em julho, segundo o banco central americano, mantendo-se acima do nível pré-pandemia. Houve crescimento melhor do que o esperado em manufaturas, depois de 2 meses de contração.

Os indicadores regionais de atividade industrial do Federal Reserve (Fed) vieram com sinais mistos em agosto. O índice do Fed da Filadélfia cresceu 11,2 pontos, saindo do território negativo, com melhora na produção e demanda. O índice do Fed de Nova York contraiu 42,4 pontos, entrando em território negativo, com piora significativa na produção e na demanda. Em ambos os índices os preços seguem uma tendência de queda, mas continuam elevados e o tempo de entrega de mercadorias permaneceu razoável para o histórico da série.

Em relatório semanal do Departamento de Trabalho, os pedidos iniciais de seguro-desemprego seguem em níveis baixos, em 250 mil na semana encerrada em 13 de agosto, 2 mil abaixo da semana anterior.

Europa: inflação do Reino Unido alcança 2 dígitos

O conflito entre Rússia e Ucrânia se estende pelo sexto mês. A Rússia continua com ações ofensivas principalmente no leste do país e segue para tomar a região de Donbas. A Ucrânia mostra resistência e segue recebendo ajuda militar, financeira e humanitária do Ocidente. O conflito se estende por mais tempo do que era previsto. O presidente da Turquia e o secretário-geral das Nações Unidas se encontraram com o presidente ucraniano para discutir possíveis passos para um acordo de paz. Uma reunião com o presidente russo deve ocorrer em seguida.

Os preços das commodities continuam com alta volatilidade. Entre os dias 12 e 18 de agosto, o petróleo cedeu um pouco, com preocupações quanto a uma desaceleração global. O gás natural continuou elevado em meio ao maior consumo de energia em razão das altas temperaturas durante o verão e ao baixo fornecimento russo. O gasoduto de Nord Stream, principal canal de gás entre Rússia e Alemanha, permanece operando com apenas 20% da capacidade mesmo depois de concluída a manutenção. Os grãos (milho e trigo) cederam com as exportações da Ucrânia ganhando força, depois de acordo para reabertura de portos no Mar Negro, que estavam fechados desde o início da guerra, firmado há três semanas com a Rússia.

No Reino Unido, o mercado de trabalho permaneceu firme, segundo o Departamento de Estatísticas Nacional do Reino Unido: os salários, excluindo bônus, cresceram 5,1% nos três meses até junho e o emprego aumentou 160 mil no mesmo período, 136 mil a menos que no período anterior, mas ainda assim robusto. A taxa de desemprego permaneceu baixa em 3,8%, próxima do menor nível alcançado desde 2000, de 3,7%. Houve leve diminuição da participação na força de trabalho (63,3%), que continua abaixo do nível pré-pandemia. As vendas no varejo cresceram 0,3% em julho frente ao mês anterior, depois de queda de 0,2% em junho. A tendência nos últimos três meses foi de queda, mas o índice permanece acima do nível pré-pandemia.

A inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) no Reino Unido subiu mais que o esperado em julho, com maior aceleração nos preços de serviços. O índice subiu 0,6% frente ao mês anterior, com aumento no preço de energia (0,2%) e alimentos (2,2%).  O núcleo (exclui alimentos e energia) desacelerou para 0,3%. Em 12 meses, a inflação acumula a maior alta em 40 anos, 10,1%, sendo a primeira vez que alcança dois dígitos no período. O núcleo subiu robustos 6,2%. A inflação ao produtor também acelerou, sugerindo que preços ao consumidor devem continuar subindo.

A confiança do consumidor inglês diminuiu 3 pontos para -44 em agosto, segundo a empresa de pesquisa GfK. O índice alcançou novo mínimo na série histórica que começou em 1974, em meio a um aumento do custo de vida. Apesar da deterioração da confiança, preocupações com desemprego, calculadas pelo mesmo instituto, seguem baixas.

China: atividade perde impulso

O primeiro-ministro Li Keqiang pediu a governos locais de algumas províncias que aumentem apoio fiscal à produção e demanda. Reconheceu uma desaceleração maior que o esperado causada por lockdowns e pediu às autoridades maior equilíbrio entre medidas de controle de Covid-19 e a economia.

O número diário de casos de Covid-19 continua aumentando, próximos de 3.000 no fim desta semana. Os casos estão concentrados em províncias mais ao sul – ilha de Hainan -, e noroeste do país, que possuem aproximadamente 90% dos novos casos. O número de áreas de risco está elevado, mas boa parte está concentrada na ilha de Hainan. O governo chinês, seguindo a política de Covid zero, tem priorizado isolamentos, com criação de áreas de risco e empresas funcionando em loop fechado tão logo o número de casos aumenta nas proximidades. Em Xangai, o número de casos diários continua baixo, mas testagens seguem ocorrendo semanalmente até o fim de agosto. 

A atividade desacelerou e desapontou as expectativas para o mês de julho, segundo dados do Escritório Nacional de Estatística (NBS, na sigla em inglês). A demanda mais moderada e uma persistente fraqueza no setor imobiliário pesaram sobre a economia: a produção industrial cresceu moderadamente, 3,8% frente ao mesmo mês do ano anterior, impulsionada por exportações e por melhora contínua na produção de veículos; a produção de serviços perdeu força e subiu 0,6% em meio a menor demanda doméstica; as vendas no varejo cresceram mais moderadamente, 2,7%. A taxa de desemprego urbano diminuiu de 5,5% para 5,4%, mas permanece elevada entre jovens (19,9% na faixa de 16 a 24 anos).

O investimento em ativos fixos (FAI, na sigla em inglês) desacelerou para 5,7% nos sete primeiros meses do ano frente ao mesmo período do ano anterior. Os investimentos em infraestrutura seguem sólidos e investimentos em manufatura moderaram. No entanto, investimentos imobiliários continuam diminuindo em razão de dificuldades enfrentadas pelo setor. As vendas de imóveis residenciais contraíram 31,4% no período. O preço médio de casas novas em 70 cidades chinesas continuou cedendo 0,1% em julho frente ao mês anterior, décima-primeira queda consecutiva do índice, apesar de menores taxas de hipotecas anunciadas em maio, sinalizando menor confiança de potenciais proprietários com empresas do setor.

O banco central chinês (PBOC) reduziu a taxa de juros de referência para crédito de médio prazo de 1 ano em 10 pontos-base para 2,75%, em meio a dados de crédito e atividade mais fracos, sinalizando uma perda de impulso da economia.

Brasil

Focus: expectativa de inflação para 2024 registra nova deterioração

A projeção para o IPCA apresentou queda para 2022 (de 7,11% para 7,02%), alta para 2023 (de 5,36% para 5,38%) e para 2024 (de 3,3% para 3,41%). O número esperado para o PIB ficou praticamente estável para 2022 (passou de 1,98% para 2%) e para 2023 (de 0,40% para 0,41%). A taxa Selic ficou estável em 13,75% para o final deste ano, em 11% para 2023 e em 8% para 2024. As projeções estão no Boletim Focus, relatório do Banco Central que reúne a expectativa das instituições financeiras em relação aos principais indicadores econômicos do país.

Inflação: bens industriais mostram desaceleração

O IGP-10 registrou deflação de 0,69% em agosto e acumula alta de 8,82% em 12 meses. A composição dos índices de atacado mostrou o IPA agrícola com leve alta de 0,19% frente à alta de 0,16% no mês anterior. O núcleo do IPA industrial – que inclui apenas os itens relacionados à inflação de bens industriais do IPCA, excluindo alimentos, combustíveis e minério de ferro – registrou elevação de 0,18% ante 0,15% em julho. No acumulado em 12 meses, ambos indicadores apresentam desaceleração, ainda que em patamar elevado, em 14,5% para o núcleo dos bens industriais e em 9,6% para o IPA agrícola. À frente, esperamos que o núcleo do IPA industrial siga desacelerando em ritmo lento no acumulado em 12 meses, enquanto o IPA agrícola pode apresentar volatilidade.

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.