Leitura de 4 min

Como declarar conta internacional no Imposto de Renda

Neste ano, muitos brasileiros vão declarar pela primeira vez recursos depositados em dólar ou euro em contas globais; confira o passo a passo

Atualizado em

Mulher planejando uma viagem ao exterior com a ajuda dos produtos do C6 Bank

Em 2020, as contas internacionais em moeda estrangeira ganharam espaço entre os brasileiros. O C6 Bank, por exemplo, passou a oferecer aos clientes a possibilidade de manter contas em dólar e em euro — uma opção mais econômica do que o cartão de crédito para quem viaja ao exterior, quer fazer compras em sites lá de fora ou simplesmente para quem deseja ter uma reserva em uma dessas moedas. Os depósitos não remunerados no exterior precisam ser declarados à Receita Federal. E neste ano, muitos brasileiros farão isso pela primeira vez.

Ao fim do ano, os bancos enviam ou disponibilizam no app um demonstrativo com essas informações consolidadas para o preenchimento da declaração dos clientes. É preciso incluir essas informações na ficha de Bens e Direitos — Depósitos Bancário em Conta Corrente no Exterior da declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF).

Confira o passo a passo de como declara corretamente sua conta internacional no Imposto de Renda:

  • Passo 1: Todos os depósitos não remunerados mantidos nas contas correntes em dólar e euro devem ser informados na Declaração de Bens e Direitos, sob o Código “62 — Depósito bancário em conta corrente no exterior”.
  • Passo 2: Na discriminação, é necessário informar o valor em moeda estrangeira, o banco e o número da conta.
  • Passo 3: Os correntistas precisam demonstrar o saldo em reais depositado até 31 de dezembro de 2019, que foi informado na declaração do IRPF 2020 (ano calendário 2019).
  • Passo 4: Em seguida, no campo “Situação em 31/12/2020”, os clientes informam o saldo existente na conta naquela data, já convertido em reais pelo valor de mercado do dia. À época, a cotação da moeda norte-americana era de R$ 5,1961 e o euro era comercializado a R$ 6,3756, conforme os dados do Banco Central.

Embora o acréscimo patrimonial gerado pela variação cambial seja isento de tributação, essa mudança deve ser informada à Receita Federal na aba de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Sobre a Conta Global

No C6 Bank, os clientes podem ter uma conta global em dólar desde dezembro de 2019 e, em euro, desde dezembro de 2020. Basta ser correntista pessoa física do banco e solicitar a abertura da conta pelo próprio aplicativo. O cliente também recebe um cartão de débito internacional aceito globalmente em todos os estabelecimentos e sites que aceitam a bandeira Mastercard na função débito.

Ao transferir dinheiro em reais para a conta internacional, o valor é convertido automaticamente para euro ou dólar. A transferência ocorre de forma imediata e pode ser realizada durante as 24 horas do dia.

Para fazer a conversão da moeda brasileira para as versões estrangeiras, a referência que o banco usa é de moeda comercial, cuja cotação é mais baixa que o papel vendido para turismo. As transações são feitas com base no IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) de 1,1%.

O cartão C6 Global permite sacar dinheiro em mais de 2 milhões de terminais de autoatendimento da rede Cirrus no mundo. O cliente pode sacar até € 500, ou US$ 500 por vez, e há um limite de quatro saques por dia. Cada saque custa € 5 na Conta Global Euro e US$ 5 na Conta Global Dólar.

Para quem tem o cartão C6 Carbon ou a partir de R$ 20 mil aplicados em CDBs do C6 Bank, abrir uma Conta Global não custa nada. Para quem não se encaixa nessas condições, o custo para a abertura da conta e a emissão do cartão é de US$ 30, valor que é descontado em reais do saldo que o cliente tem em sua conta corrente do C6 Bank no Brasil.

Conheça a C6 Conta Global, nossa conta internacional em dólar e euro com menos tarifas, câmbio com cotação comercial, envios e recebimentos para todos os países e cartão de débito para viajar com tranquilidade.