• Início
  • Seu Bolso
  • Bebê chegando? Veja como se preparar financeiramente para ter um filho

Leitura de 7 min

Bebê chegando? Veja como se preparar financeiramente para ter um filho

Poupar dinheiro, montar uma reserva de emergência e enxugar gastos são algumas das formas de se preparar financeiramente para ter um bebê

Atualizado em

casal de mulher e homem negros sorri enquanto pensa em como se preparar financeiramente para ter um filho. a mulher está grávida e olhando para o rosto do marido, que passa o braço por cima do ombro dela e apoia a outra mão na barriga da mulher
A estabilidade financeira será necessária quando os gastos com fraldas (e muitos outros) baterem na porta

A chegada de um filho é um momento de muitas emoções, dúvidas e expectativa para os pais. Um dos principais questionamentos é: como se preparar financeiramente para ter um filho? E a resposta não é tão simples quanto pode parecer. É preciso muita organização e, eventualmente, mudança no estilo de vida.

O ideal é que os pais já comecem a se preparar com antecedência. Assim, terão tempo para alinhar o que precisa e conquistar a estabilidade financeira – que será necessária quando os gastos com fraldas (e muitos outros) baterem na porta.

Pensando em explicar melhor como você pode se preparar para ter um filho, além de detalhar as etapas do planejamento que você deve seguir, preparamos este texto. Nele, você encontra respostas para as seguintes perguntas:

  • Quanto dinheiro tenho que guardar para ter um filho?
  • Dicas de planejamento financeiro para ter um filho:
    1. Listagem de gastos familiares atuais
    2. Analisar gastos que precedem a chegada do bebê
    3. Gastos essenciais para os primeiros meses do bebê
    4. Verificar a necessidade de mudanças no estilo de vida
    5. Montar uma reserva de emergência para o filho
    6. Planejar o orçamento para diferentes fases de vida da criança

Quer conhecer outros conteúdos sobre organização financeira familiar? Saiba mais nestes posts:

Quanto dinheiro tenho que guardar para ter um filho?

Para saber quanto dinheiro você precisa guardar para ter um filho é preciso considerar muitas variáveis. Mas uma coisa é certa: o planejamento financeiro é a chave para conseguir se organizar neste período.

De acordo com estudo realizado pelo Insper a pedido do Estadão e publicado em fevereiro deste ano, com base em dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o valor total para criar um filho até os 18 anos pode ir de R$ 480 mil a R$ 3,6 milhões ou mais. Descubra na tabela abaixo os valores do levantamento:

Estudo realizado pelo Insper a pedido do Estadão, feito com base em dados do IBGE

A quantia pode assustar, mas é importante ter conhecimento sobre o valor total para se organizar financeiramente. Para isso, o primordial é saber quanto a família recebe de renda e quais são os gastos mensais. Vamos explicar melhor como fazer isso no próximo tópico.

Dicas de planejamento financeiro para ter um filho:

Se você já está na busca por dicas para fazer uma organização financeira antes da chegada de um bebê, está no lugar certo. Separamos 6 passos para ajudar você nesta jornada.

1. Listagem de gastos familiares atuais

Listar quais são os gastos e saber exatamente a renda líquida mensal da família é um ponto inicial importante do planejamento financeiro. Portanto, se você já não fazia este acompanhamento, agora ele se torna ainda mais essencial. Novas despesas chegarão e é importante saber qual margem você tem no orçamento para acomodá-las.

Você só conseguirá ter essa compreensão se anotar, todo mês, a quantia líquida que recebe e onde este dinheiro está sendo gasto. É preciso incluir desde as contas fixas até aquela roupa nova que comprou. Qualquer dinheiro que saia precisa estar anotado.

É possível fazer este acompanhamento em um caderno, usando planilhas ou com ajuda de aplicativos. Qualquer que seja a opção, o importante é manter a constância: todo mês, faça os registros.

2. Analisar gastos que precedem a chegada do bebê

Para completar o planejamento, é preciso analisar as despesas que chegam antes do bebê. Algumas delas são:

  • Plano de saúde (se você ainda não tiver);
  • Berço;
  • Cômoda;
  • Armários;
  • Decoração;
  • Roupas de recém-nascido;
  • Carrinho;
  • Bebê conforto. 

A lista é extensa e, para cada um dos itens que a família deseja comprar, o valor pode variar muito.

Por isso, pesquisar preços nesta fase é imprescindível. Analise o que mais se enquadra na margem mensal que você ainda tem. Às vezes, será necessário abrir mão de um item que não era tão necessário para gastar mais em um bebê conforto, por exemplo, que garante a segurança da criança. Ou até mesmo comprar em um local mais barato.

Vale lembrar que existem diversas lojas que vendem produtos de bebê seminovos, o que pode ajudar bastante a enxugar os gastos com enxoval e diversos outros produtos. Você também pode mandar uma mensagem para aquele amigo ou parente que teve filho recentemente: ele pode vender itens que já não usa.

3. Gastos essenciais para os primeiros meses do bebê

Agora, chegou a hora de descobrir as despesas essenciais para os primeiros meses do bebê. Você precisará colocar na ponta do lápis quanto vai pagar, por mês, em fraldas, outros itens de higiene, saúde, educação, vestuário e alimentação. Aqui continua valendo a regra de pesquisar preços.

Também vale lembrar do chá de fraldas, que normalmente é feito antes da chegada do bebê. Este evento ajuda a criar um “estoque” de itens que você vai precisar apenas depois do nascimento.

No chá, você reúne família e amigos e, tradicionalmente, os convidados levam pacotes de fraldas e outros itens que você pode precisar. Assim, o dinheiro que você gastaria com as fraldas, por exemplo, pode redirecionar a outra despesa essencial, como alimentação ou saúde.

pai e mãe asiáticos com a filha no sofá ensinando a criança a fazer planejamento financeiro
O ideal é que você já comece a pensar na educação financeira da criança a longo prazo

4. Verificar a necessidade de mudanças no estilo de vida

Para acomodar os novos gastos no orçamento, muitas vezes é necessário repensar seu estilo de vida. Até porque o próprio bebê, ao menos nos primeiros meses, já faz com que a rotina e os custos sejam diferentes.

Viagens podem ser menos frequentes. Também pode ser que agora você precise diminuir ou até mesmo evitar jantares fora de casa. Isso porque a despesa, que antes era compatível com a renda, pode começar a “roubar” o lugar de outras que se tornaram essenciais.

Faça uma conta básica: se você está com o orçamento apertado, recorra ao seu acompanhamento mensal e veja onde é possível cortar custos. Se com parte do dinheiro das saídas você consegue comprar um item essencial, faça essa troca.

5. Montar uma reserva de emergência

Montar uma reserva de emergência é essencial em todas as fases da vida, mas especialmente no período que antecede a chegada de um bebê. Isso porque, caso aconteça algum imprevisto, você terá essa quantia à disposição e sua renda mensal não será prejudicada. O montante que você deve guardar nesta reserva deve cobrir de 3 a 6 meses do seu custo de vida. Quanto mais incertas forem suas fontes de renda, maior deve ser este montante.

6. Planejar o orçamento para diferentes fases de vida da criança

Além da reserva de emergência, o ideal é que você já comece a pensar na educação financeira da criança a longo prazo. Se você tiver essa disponibilidade, pode começar a juntar dinheiro para pagar a escola e faculdade dos filhos, por exemplo.

No C6 Bank, o C6 Yellow, nossa conta para crianças e adolescentes, é ideal para esse propósito. Não existe idade mínima, basta que a criança tenha um CPF. No aplicativo, é possível cadastrar uma mesada educativa e até investir o dinheiro de acordo com objetivos como, por exemplo, educação.

Agora, você já tem várias dicas de como se preparar financeiramente para a chegada de um bebê. Não se esqueça de acompanhar os seus gastos, saber qual é o seu orçamento disponível e faça as compras consciente do dinheiro que ainda resta. Boa sorte na jornada!

Gostaria de saber mais sobre organização financeira? Leia alguns que selecionamos:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Informações sobre os produtos e serviços do C6 Bank vigentes na data da postagem deste texto. As regras e condições de cada produto e/ou serviço podem ser posteriormente alteradas. Consulte os termos vigentes no momento da contratação pelo app.