• Início
  • Seu Bolso
  • Consumismo infantil: entenda as causas, consequências e saiba como evitar

Leitura de 5 min

Consumismo infantil: entenda as causas, consequências e saiba como evitar

As propagandas e interações sociais são algumas das causas do consumismo infantil. Descubra o que é esse problema

Atualizado em

pai e filho negros brincam com cachorro e conversam sobre consumismo infantil
Saiba mais sobre o consumismo infantil

A preocupação com o consumismo infantil acompanha pais e responsáveis há anos. No entanto, o expressivo aumento da imersão digital e midiática requer ainda mais atenção. Pessoas cada vez mais novas são estimuladas a comprar em excesso sem pensar nas consequências, especialmente as financeiras.

Neste post vamos explicar o conceito do consumismo infantil: suas causas, efeitos e como evitá-lo.

Abaixo, descubra quais dúvidas serão respondidas sobre o tema:

  • O que é consumismo infantil?
  • Quais são as causas do consumismo infantil?
  • Quais as consequências do consumismo infantil?
  • Como evitar o consumismo infantil?

Leia outros conteúdos relacionados a educação financeira familiar:

O que é consumismo infantil?

Consumismo é o termo utilizado para indicar o impulso humano de comprar sem reflexão. Quando esse desejo intenso atinge faixas etárias mais novas, é classificado como consumismo infantil.

Quais são as causas do consumismo infantil?

Para entender como esse fenômeno atua no dia a dia, separamos as principais causas do consumismo infantil:

pai brincando com filho no tapete de caso ensinando sobre consumo infantil
Publicidade infantil pode ser considerada uma das causas desse consumismo.

1.     Publicidade infantil

A publicidade infantil foi considerada uma prática abusiva e ilegal no Brasil em 2014, a partir da Resolução nº 163 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA). Segundo a Resolução, publicidade infantil abusiva tem os seguintes aspectos:

  1. Linguagem infantil, efeitos especiais e excesso de cores;
  2. Trilhas sonoras de músicas infantis ou cantadas por vozes de criança;
  3. Representação de criança;
  4. Pessoas ou celebridades com apelo ao público infantil;
  5. Personagens ou apresentadores infantis;
  6. Desenho animado ou de animação;
  7. bonecos ou similares;
  8. promoção com distribuição de prêmios ou de brindes colecionáveis ou com apelos ao público infantil; e
  9. promoção ou competições ou jogos com apelo ao público infantil.

No entanto, o mercado de produtos infantis é amplo e comunicações mercadológicas que não se adequam à categoria acima ainda são permitidas.

2.    Interações sociais

As interações sociais, seja na escola, visitando familiares ou em trocas on-line, podem influenciar o comportamento das crianças. Nesse sentido, seus desejos de consumo também acabam sendo afetados.

3. Exemplos em casa

Além das interações sociais com outros grupos, os exemplos mais próximos, como pais, responsáveis ou irmãos, também podem impactar negativamente a relação da criança com a compra e com o dinheiro.

4. Ausência da educação financeira infantil

ausência da educação financeira desde a infância acaba sendo um grande catalisador do consumismo. Aprender a importância de economizar, conhecer conceitos como consumo consciente e saber que “dinheiro não nasce em árvores” faz uma grande diferença.

Nesse cenário, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) tornou o tema obrigatório e conceitos básicos de economia e finanças passaram a compor o currículo escolar em 2020.

Quais as consequências do consumismo infantil?

O consumismo infantil pode ter uma série de consequências com potencial de acompanhá-los até a vida adulta.  

  1. Excesso de consumo dentro das famílias brasileiras: quando o hábito de comprar impulsivamente é comum dentro de casa, ele pode passar a ser naturalizado pela criança ou adolescente;  
  2. Impactos negativos na saúde e desenvolvimento infantil: compras impulsivas têm forte relação com a ideia de ser recompensado no curto prazo, quase que de imediato. Assim, com o passar do tempo é possível que a criança apresente certa impaciência nos momentos em que precisa de maior tolerância. As noções de desejo e necessidade também podem ser interpretadas de formas distorcidas.  
  3. Problemas financeiros na vida adulta: por fim, os jovens correm risco de enfrentar grandes problemas financeiros na vida adulta, como dívidas altas e gastos desequilibrados.

Como evitar o consumismo infantil?

A fim de evitar o consumismo infantil, os pais podem abordar temas importantes dentro da sua realidade financeira e transmitir bons ensinamentos.

  • Acompanhe os conteúdos que as crianças interagem: esse cuidado permite que responsáveis se atentem aos hábitos de consumo que podem estar sendo incentivados no ambiente digital;
  • Converse sobre dinheiro e consumo desde cedo: o diálogo pode estimular a percepção e interpretação sobre a realidade em que os jovens vivem, como o entendimento do real valor do dinheiro, além da importância do trabalho dos pais;
  • Encoraje a participação dos filhos: a colaboração das crianças no planejamento financeiro familiar pode criar uma boa oportunidade para a reflexão sobre gastos;
  • Impulsione a educação financeira infantil em casa: ensiná-los a lidar com o próprio dinheiro é essencial. Dar um bom exemplo e conversar sobre conceitos básicos são ótimos primeiros passos.

Educação financeira infantil no C6 Bank

pais e filho asiático sentados na sala de estar conversando como evitar o consumo infantil
A educação financeira infantil é uma forma de combate ao consumismo

Evitar o consumismo infantil deve ser um processo bem pensado para garantir uma boa formação para a criança. No C6 Bank, o C6 Yellow é uma oportunidade para os pais iniciarem essa conversa com a ajuda de várias ferramentas educativas, acompanhando de perto tudo que acontece na conta.

O C6 Yellow apresenta alguns recursos especiais, como:

  • Tecnologia de pagamento de mesada educativa;
  • Investimentos por objetivos, com aplicações em CDB de Liquidez Diária a partir de R$ 10;
  • Transferências via Pix;
  • Operações com cartão de débito (por aproximação);
  • Cartão com opções de cores que são a cara do seu filho.

Além disso, no Blog do C6 Bank e no nosso canal do YouTube, você consegue encontrar vários textos e vídeos abordando temas de educação financeira e a importância da difusão desse conhecimento ao longo de todas as idades.

Agora que você já aprofundou seus conhecimentos sobre o consumismo infantil e suas consequências, pode buscar soluções inteligentes para a educação financeira do seu filho. Bons aprendizados:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Confira outros posts sobre educação financeira infantil: