Leitura de 8 min

Resumo semanal: desemprego em queda nos EUA

Confira as principais notícias da semana, segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank

Atualizado em

Confira as principais notícias da semana (3/10-7/10), segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank. Leia a íntegra do relatório.

Internacional

Estados Unidos: mercado de trabalho segue sólido

O mercado de trabalho continua aquecido. O Departamento de Trabalho publicou dados referentes ao mês de setembro. De acordo com o Establishment Survey, houve criação de 263 mil empregos no período, acima do esperado, apesar de mostrar uma tendência de queda. Segundo o Household Survey, a taxa de desemprego voltou a um mínimo recente de 3,5%, com o número de desempregados diminuindo de 6 milhões para 5,8 milhões. A taxa de participação na força de trabalho diminuiu levemente de 62,4% para 62,3%. O ganho médio por hora trabalhada aumentou em 0,3% em relação ao mês anterior, em linha com esperado. Nos últimos doze meses, o índice acumula alta de 5%, indicando pressão de salários. Outro relatório do Departamento de Trabalho, Jolts, mostrou redução significativa, de aproximadamente 1 milhão, no número de vagas de emprego em aberto – 10 milhões em agosto; apesar da redução, o número de vagas em aberto por desempregado segue elevado, em torno de 1,7. Em relatório semanal, os pedidos iniciais de seguro-desemprego seguem em níveis baixos, em 219 mil na semana encerrada em 1 de outubro, 29 mil acima da semana anterior. Em suma: apesar de alguns sinais recentes de desaceleração no mercado de trabalho, indicadores seguem sólidos e sugerem novo aumento de juros de 75 pontos-base na reunião de novembro.

A atividade na indústria desacelerou em setembro em relação ao mês anterior. O índice de gerentes de compras do setor de manufaturas (PMI, na sigla em inglês) do Instituto ISM, diminuiu 1,9 ponto para 50,9, indicando estagnação. Houve queda na demanda e no emprego. Os preços pagos por insumos continuaram diminuindo.

O setor de serviços continuou mostrando atividade robusta em setembro, segundo o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do Instituto ISM. O índice diminuiu 0,2 ponto para 56,7 com leve diminuição na demanda, que segue em patamar elevado. Houve aumento do emprego e menor pressão de preços.

Europa: Banco Central sinaliza necessidade de juros altos

O Banco Central Europeu (BCE) divulgou a ata da última reunião de setembro, sinalizando que a magnitude de próximos aumentos continuará a depender de dados. Segundo o texto, o aumento de 75 pontos-base em setembro não foi consenso inicial, alguns membros preferiam aumento de 50 pontos-base em razão de um maior risco de recessão à frente. No fim, houve unanimidade pelo aumento maior. O economista-chefe do banco, Philip Lane, alertou que a pressão de preços deve continuar e não deve diminuir sozinha. Mesmo um crescimento fraco da economia não será capaz de conter a inflação, segundo Lane. Por enquanto, membros do BCE não veem uma tendência de aceleração em salários, o que é positivo para manter expectativas de inflação ancoradas.

O conflito entre Rússia e Ucrânia está no oitavo mês. Contra-ofensivas ucranianas continuam principalmente no leste e sul do país, na tentativa de afastar russos de parte de territórios anexados na semana passada – movimento considerado ilegal por Estados Unidos e aliados, entre outros. O presidente da Ucrânia assinou decreto proibindo negociações de um possível fim do conflito com o atual presidente russo, como represália à anexação. A União Europeia aprovou o oitavo pacote de sanções à Rússia, que inclui limite no preço do petróleo russo exportado para terceiros. As investigações sobre o acidente que causou vazamento dos gasodutos de Nord Stream continuam; segundo a Suécia – país que participa das investigações – o acidente foi causado por detonações. O conflito entre Rússia e Ucrânia se estende por mais tempo do que era previsto.

Os preços das commodities seguem com alta volatilidade. Entre os dias 30 de setembro e 6 de outubro, o preço do petróleo subiu depois de uma decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (OPEP+) de cortar sua meta de produção em 2 milhões de barris por dia (2 Mbpd) a partir de novembro, maior corte desde 2020 em razão da pandemia. Na prática, o corte de produção deve ser menor (por volta de 1 Mbpd) já que vários países não têm conseguido cumprir suas quotas. O gás natural diminuiu esta semana, em meio a temperaturas mais amenas, contínua formação de estoques no continente europeu e chegada de mais gás natural liquefeito.

A inflação ao produtor (PPI, na sigla em inglês) acelerou no mês de agosto frente ao mês anterior, alcançando novo recorde. Em 12 meses, o índice acumula alta de 43,3%, puxado pelo aumento do preço de energia no período (116,8%).

As vendas no varejo encolheram pelo terceiro mês consecutivo em agosto; a queda recente foi de 0,3% frente ao mês anterior. O índice tem sido possivelmente impactado pela inflação elevada, que diminui o poder de compra dos consumidores e pesa negativamente sobre as vendas.

No Reino Unido, depois de pressão do próprio partido conservador, em meio à queda de aprovação popular e de investidores, o ministro das finanças, Kwasi Kwarteng, voltou atrás em parte do plano fiscal (anunciado em 23 de setembro), retirando o item que previa corte de impostos sobre os mais ricos. A medida ajudou a acalmar o mercado: câmbio e rendimento de títulos da dívida pública voltaram em boa parte para níveis anteriores aos do anúncio. A primeira-ministra, Liz Truss, em discurso durante a Conferência Anual do Partido Conservador, reforçou que seu objetivo é impulsionar o crescimento econômico com responsabilidade fiscal. O Banco Central da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) continua comprando títulos de longo prazo da dívida do governo britânico para manter estabilidade financeira. Compras do BoE devem seguir até 14 de outubro, conforme previamente anunciado.

China: casos de Covid-19 seguem persistentes

O quadro de Covid-19 teve leve piora esta semana, com número de casos diários terminando em torno de 1.500, acima da média da semana anterior. O número de áreas de risco segue alto, o que significa que restrições à mobilidade continuam em várias áreas. A política de Covid zero adotada pelo país mantém um controle rigoroso sobre a circulação de pessoas quando casos aumentam, o que traz dificuldades para a economia. Restrições seguem rígidas nos dias que antecedem a reunião quinquenal do partido comunista em meados de outubro.

Brasil

Focus: expectativa de inflação ficou estável para 2024

A projeção para o IPCA apresentou queda para 2022 (de 5,88% para 5,74%) e ficou estável tanto para 2023 (em 5%) quanto 2024 (em 3,5%). O número esperado para o Produto Interno Bruto (PIB) registrou leve alta para 2022 (passou de 2,67% para 2,7%) e para 2023 (de 0,5% para 0,53%). A taxa Selic ficou estável em 13,75% para o final deste ano, em 11,25% para 2023 e em 8% para 2024. As projeções estão no Boletim Focus, relatório do Banco Central que reúne a expectativa das instituições financeiras em relação aos principais indicadores econômicos do país.

Atividade: indústria e varejo registram queda em agosto

A produção industrial do mês de agosto registrou queda de 0,6% frente ao mês anterior e alta de 2,8% na comparação anual – em linha com o mercado e um pouco abaixo da nossa projeção. À frente, nossa expectativa é que a indústria fique de lado, podendo apresentar contração. A política monetária contracionista, a desaceleração global e a queda dos preços das commodities contribuem para esta tendência.

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) de agosto mostrou queda de 0,6% frente ao mês anterior no volume de vendas no comércio varejista ampliado, resultado abaixo do que nós e o mercado projetávamos. Nos últimos meses, a composição do indicador mostra recuo maior nos segmentos sensíveis ao crédito, enquanto aqueles mais sensíveis à renda ficaram praticamente de lado.

O resultado negativo do comércio não muda nossa previsão de que o PIB deve ficar de lado, podendo até registrar leve retração nos próximos trimestres. Entretanto, o pagamento de benefícios sociais mais altos e o aumento da massa salarial podem atenuar um pouco essa desaceleração para o segmento do varejo.

Mantemos a projeção para o PIB de 2,3% para 2022 e de 0% para 2023.

Inflação: bens industriais seguem desacelerando no atacado

O IGP-DI registrou deflação de 1,22% em setembro, abaixo da expectativa do mercado, e acumula alta de 7,9% em 12 meses – trajetória de desaceleração. A composição dos índices de atacado mostrou o IPA agrícola com queda de 1,2% frente à alta de 0,67% no mês anterior. O núcleo do IPA industrial – que inclui apenas os itens relacionados à inflação de bens industriais do IPCA, excluindo alimentos, combustíveis e minério de ferro – registrou queda de 0,54% ante queda de 0,06% em agosto. No acumulado em 12 meses, ambos indicadores seguem em patamar elevado, em 10,9% para o núcleo dos bens industriais e em 6,3% para o IPA agrícola. À frente, o IPA agrícola deve voltar a apresentar alguma alta enquanto o núcleo dos bens industriais deve desacelerar no acumulado em 12 meses. Mantemos viés de baixa para a projeção de 6% para o IPCA de 2022. Para 2023, projetamos 5,7%.

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.