Leitura de 3 min

Sem surpresas, Copom mantém ritmo de queda dos juros

Leia a íntegra da análise da equipe econômica do C6 Bank

Atualizado em

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira (31) a queda da taxa básica de juros para 11,25%.

Leia a íntegra da análise da equipe econômica do C6 Bank, liderada pelo economista-chefe, Felipe Salles:

Em linha com as expectativas, o Banco Central do Brasil (BCB) reduziu a taxa Selic de 11,75% para 11,25% nesta quarta-feira (31). No comunicado em que anunciou a decisão, o Comitê de Política Monetária (Copom) repetiu a mensagem, transmitida desde agosto, de que o corte dos juros deve seguir no ritmo de 50 pontos-base para as próximas reuniões.

Na comparação com o comunicado da reunião anterior (dezembro), houve pouca mudança no texto. A justificativa para mais um corte de 0,50 ponto percentual (p.p.) na Selic, segundo o órgão, segue sendo a conjuntura atual, que inclui três pontos: uma inflação que tende a cair mais lentamente, expectativas de inflação acima da meta e um cenário global desafiador. Na avaliação do Comitê, esse conjunto de fatores “demanda serenidade e moderação na condução da política monetária”.

Para 2024 e 2025, as projeções de inflação no cenário de referência (que considera juros de 9% ao fim de 2024) permaneceram iguais às registradas na última reunião. As estimativas, como informado no comunicado, estão em 3,5% para 2024 e 3,2% para 2025, ligeiramente acima da meta estabelecida de 3%.

Conforme já era esperado, o Banco Central passa agora a dar mais peso para o ano de 2025 em suas decisões de política monetária. Nas reuniões de maio e junho, o Copom deve se concentrar exclusivamente no ano de 2025; e a partir de julho o Comitê começará a considerar também o ano de 2026. Por ora, avaliamos que as mudanças no horizonte relevante não devem alterar a estratégia de política monetária do BC, já que a projeção de IPCA para 2026 divulgada pela instituição no último relatório de inflação é de 3,2%, próximo da meta.

O comunicado afirma que é unânime, entre os membros do Comitê, a visão de que os próximos cortes terão magnitude semelhante à atual (50 pontos-base). Na avaliação do órgão, “esse é o ritmo apropriado para manter a política monetária contracionista necessária para o processo desinflacionário”.

Projetamos Selic em 9,25% ao final de 2024 e em 8,5% ao final de 2025. Aguardamos a ata da reunião, que será divulgada na próxima terça-feira (6), para termos mais detalhes sobre os rumos da política monetária.

Equipe Econômica C6 Bank:

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.
Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.
Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:
(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;
(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.
Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.
Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.
O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.