Leitura de 9 min

Taxa Selic: o que é e como funciona

A taxa Selic é um importante indicador econômico do Brasil, intimamente relacionada com o ritmo do mercado e com o índice da inflação

Atualizado em

Mulher sentada diante de notebook pesquisando o que é a taxa Selic

A taxa Selic é um dos mais importantes indicadores econômicos do Brasil. Ela afeta, de diversas maneiras, o panorama financeiro dos brasileiros tanto em pequena quanto em grande escala, sendo tema de debate em noticiários, jornais e conversas sobre a economia do país de forma geral.

Dada sua grande importância, é essencial entender o que de fato é a taxa Selic, bem como sua função e outras informações importantes. Pensando nisso, o C6 Bank preparou este post para que você esclareça todas as suas dúvidas. Ao longo do texto, abordaremos os seguintes tópicos:

  • O que é a taxa Selic?
  • Quem define a taxa básica de juros?
  • Qual a função da Selic?
  • Qual o impacto da Selic na sua vida?
  • Como a taxa Selic é calculada?
  • Como a Selic impacta os investimentos?
  • O que fazer quando há alta na Selic?
  • Qual a relação entre taxa Selic e IPCA?

Gostaria de conhecer outros conceitos econômicos importantes? Confira alguns conteúdos que separamos para você:

O que é a taxa Selic?

A Selic nada mais é do que a taxa básica de juros da economia brasileira. Seu nome, apesar de geralmente não ser tratado pelas pessoas como sigla, tem origem no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, estrutura do Banco Central criada em 1979 na qual são transacionados os títulos públicos federais.

A proposta do sistema era trazer mais segurança e transparência para a negociação desse tipo de produto, mas a taxa Selic em si veio a ganhar importância sob outra perspectiva: a de combate à inflação, naquela época em patamares preocupantes, em torno dos 80% ao ano – movimento que viria a piorar ainda mais nos anos seguintes, antes de ser controlado.

Apesar de estar em relativa alta atualmente, fato é que o avanço nos preços no paísse encontra mais controlado do que há algumas décadas. E parte disso se deve ao papel da taxa Selic, que tem reflexo direto sobre esse fenômeno.

Também é ao Sistema Especial que a Selic deve o número que representa sua importância: o indicador corresponde à taxa de juros apurada nas operações diárias de empréstimo entre instituições financeiras que utilizam tais títulos como garantia, dentro do Sistema. Esse é o valor responsável por influenciar as taxas de juros do país, e é nele que está contida a relevância desse índice.

Vale notar: a taxa Selic tem duas modalidades. A Selic Meta, definida pelos órgãos responsáveis como forma de balizar os juros no país, e a Selic Over, que é de fato utilizada nos empréstimos interbancários de pequena duração.

Qual a taxa Selic hoje?

Acompanhe o histórico da taxa Selic 

Data  Período de vigência  Meta Selic (% ao ano)  
31/1/20241/2/2024 – 20/3/202411,25%
20/3/202421/3/202410,75%
08/05/2024 09/05/2024 – 10,50%

Selic no ano de 2023 

Data Período de vigência Meta Selic (% ao ano) 
1/2/2023 2/2/2023 – 22/3/2023 13,75% 
22/3/2023 23/3/2023 – 3/5/2023 13,75% 
3/5/2023 4/5/2023 – 21/6/2023 13,75% 
21/6/2023 22/6/2023 – 2/8/2023 13,75% 
02/8/2023 3/8/2023 – 20/9/2023 13,25% 
20/9/2023  21/09/2023 – 2/11/202312,75% 
1/11/20233/11/2023 – 13/12/202312,25%
13/12/202314/12/2023 – 11,75%

Histórico Taxa Selic 2022 

No ano passado, a Taxa Selic era de 13,75% ao ano. O anúncio, último de 2022, foi feito pelo Copom na última quarta-feira (7/12), confirmando as expectativas de manutenção da taxa no mesmo índice em que já se encontrava há alguns ciclos. 

Você pode conferir a evolução dos valores para a taxa Selic ao longo do ano de 2022 na tabela abaixo: 

DataPeríodo de vigênciaMeta Selic (% ao ano)
7/12/20227/12/2022 – 31/1/202313,75%
26/10/202226/10/2022 – 6/12/202213,75%
21/9/202221/9/2022 – 25/10/202213,75%
3/8/20224/8/2022 – 21/9/202213,75%
15/6/202217/6/2022 – 3/8/202213,25%
4/5/20225/5/2022 – 16/6/202212,75%
16/3/202217/3/2022 – 4/5/202211,75%
2/2/20223/2/2022 – 16/3/202210,75%
8/12/20219/12/2021 – 2/2/20229,25%

É possível conferir, no site do Banco Central, todo o histórico Copom desde o ano em que foi implementado.

Quem define a taxa básica de juros?

A cada 45 dias, o Comitê de Política Monetária (Copom), composto por diversos diretores e pelo presidente do Banco Central, se reúne para estipular a taxa que vigorará durante o um mês e meio seguinte à reunião. A decisão tomada é divulgada de forma imediata, mas os detalhes que levaram a ela só são explicitados seis dias úteis depois, com a divulgação da ata do Copom.

São levados em consideração uma série de critérios para a definição da taxa: riscos, oportunidades no panorama da economia, índices inflacionários, nível de emprego da população, renda – afinal, tendo mais dinheiro no bolso a população tende a fazer mais gastos, o que pode levar a um aumento de preços por conta do aumento da demanda, fazendo com que surja a necessidade de aumentar a Selic para manter um controle –, entre outros.

Para fazer valer a meta estabelecida pelo Copom, o Banco Central compra e vende títulos públicos federais de acordo com a necessidade, a fim de manter os juros reais próximos dos estabelecidos pela taxa Selic.

Qual a função da Selic?

Conforme mencionado anteriormente, a Selic é utilizada com o objetivo de influenciar as outras taxas de juros brasileiras – ou seja, aquelas utilizadas por bancos e outras instituições quando você vai pegar um empréstimo, por exemplo.

Além disso, também desempenha um estratégico papel no combate à inflação no Brasil, sendo frequentemente utilizada pelo Banco Central para tentar estabilizar a economia em momentos de oscilação.

Isso é feito através de um controle do fluxo de emissão e circulação de recursos financeiros dentro do território brasileiro. Na prática, isso pode ocorrer em dois sentidos:

  • Quando há crescimento da taxa Selic, a tendência geral é de redução da inflação e do ritmo da economia. Isso porque o aumento dos juros tende a desincentivar o consumo e o investimento, especialmente se o poder de compra da população já não está muito elevado;
  • Já em caso de redução da taxa Selic, a tendência é inversa, de estímulo ao consumo e investimento. Isso pode levar a uma aceleração da economia que, dependendo da intensidade da demanda, talvez chegue a ocasionar uma pressão sobre os preços. A consequência disso é um crescimento da inflação.

Qual o impacto da Selic na sua vida?

As taxas de juros são dados importantes para que as pessoas consigam tomar decisões econômicas no seu dia a dia. Imagine que você é um empresário que deseja contratar capital de giro para investir no seu negócio. A chance de você se sentir mais confortável para tomar essa decisão é muito maior caso você tenha a confiança de que a inflação e a Selic continuarão estáveis, sem variarem demais em relação ao estipulado do governo.

Já para um vendedor, as variações na Selic podem ser um fator decisivo para que ele saiba se irá optar por abastecer seus estoques em maior ou menor quantidade, por exemplo, considerando que a taxa tem relação direta com o ritmo do mercado.

Resumindo: de forma geral, o reflexo da Selic virá na forma de oscilação da acessibilidade ao crédito e do poder de compra.

Qual a relação entre taxa Selic e IPCA?

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o indicador utilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no cálculo da inflação. Basicamente, seu valor representa a variação dos preços dentro de determinado período: se o IPCA acumulado dos últimos 12 meses tiver sido de 10%, por exemplo, isso significa que, ao longo de um ano, os preços da cesta de produtos e serviços utilizada como base pelo IBGE aumentaram 10%.

Considerando a íntima relação do IPCA com a inflação, fica fácil enxergar de que forma a taxa Selic se relaciona com o índice. Como mencionamos, ela é um mecanismo de controle das variações inflacionárias, o que significa que qualquer mudança em um tende a se refletir em mudanças no outro.

Como a taxa Selic é calculada?

Como mencionamos anteriormente, a Selic Meta é redefinida de 45 em 45 dias pelo Copom em uma reunião. No entanto, simplesmente definir uma meta não é suficiente para que ela seja atingida. Além disso, apesar de o Banco Central buscar sempre manter a Selic Over próxima à Meta, isso nem sempre é possível.

Dessa forma, para manter um acompanhamento que permita ao BC continuar esse controle, é realizado diariamente pelo sistema Selic um cálculo cujo resultado é a taxa Selic daquele dia em específico.

Trata-se de uma fórmula bastante complexa. Por conta disso, o Banco Central disponibiliza a Calculadora do Cidadão, para que eventuais interessados consigam fazer a correção de valores entre duas datas a partir da taxa Selic.

Como a Selic impacta os investimentos?

A renda fixa é uma categoria muito popular de investimentos. Muitas pessoas se atraem por essa modalidade em função de sua previsibilidade, haja vista que ativos desse tipo têm regras predefinidas. Isso significa que, ao fazer o aporte, você já sabe qual será o prazo de vencimento, a taxa de rendimento, bem como eventuais índices utilizados com o objetivo de valorizar o dinheiro que você investiu.

A relação com a taxa Selic vem do fato de que, considerando que muitos dos investimentos de renda fixa oferecem remuneração baseada em juros – títulos públicos, CDB, debêntures –, oscilações na Selic afetam diretamente a rentabilidade desses ativos.

Isto é: em caso de crescimento da Selic, esses produtos se tornam mais lucrativos. Já em cenário de redução da taxa, o retorno de tais investimentos tende a ser menor.

Além disso, a taxa Selic também pode ter influência sobre a tendência de investidores estrangeiros a fazer aplicações no Brasil. Conforme aumenta a percepção de risco de se investir no mercado ocal, as taxas se elevam de modo a atrair novos investidores .

O que fazer quando há alta na Selic?

Considerando a influência da taxa Selic sobre os investimentos, a dica é aproveitar momentos de alta para lucrar mais com produtos de renda fixa. No entanto, se seu desejo é fazer compras, especialmente as de maior valor, que tendem a implicar na necessidade de crédito, talvez seja melhor esperar um pouco para não pagar taxas de juros mais elevadas.

Dar ênfase a ativos de renda fixa não significa colocar todos os ovos na mesma cesta, todavia. Continua sendo importante diversificar, até para não ser pego de surpresa por eventuais reduções na taxa ou outros acontecimentos que impactem o mercado.

A boa notícia é que, no C6 Invest, você consegue fazer as duas coisas. Utilizando a plataforma do C6 Bank, é possível escolher entre um leque diverso de produtos, tanto de renda fixa – CDB, fundos de investimento, cambiais, multimercados, criptomoedas – quanto de renda variável – ações, fundos imobiliários, ETF, BDR, mercados futuros, entre outras opções.

Para começar a investir, é só abrir o aplicativo do C6 Bank e entrar na seção de investimentos. Lá, você encontrará todas as instruções necessárias.

Agora você sabe tudo que precisa sobre a taxa Selic, sua história, função e outras características. Gostaria de ler outros conteúdos sobre economia? Aproveite para conferir também:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.