Leitura de 8 min

Quais são as principais certificações do mercado financeiro?

Há vários tipos de certificações no mercado financeiro, atendendo a diferentes objetivos profissionais e graus de especialização

Atualizado em

mulher branca sentada em mesa diante de computador sorrindo após conseguir certificações do mercado financeiro
Várias instituições oferecem certificações financeiras, que contemplam diferentes nichos do mercado

As certificações do mercado financeiro são muito importantes para quem busca se especializar mais na área, ou ter um documento que ateste de forma oficial a sua capacitação e seus conhecimentos a respeito dela. Além disso, elas também são obrigatórias para o exercício de algumas funções e trabalhos.

A boa notícia é que existe uma ampla gama de certificações disponíveis no mercado. Neste post, queremos apresentar as principais delas, de forma que você consiga escolher com mais precisão a mais adequada para o objetivo que você deseja atingir. Tendo isso em vista, abordaremos os seguintes tópicos ao longo do texto:

  • O que são as certificações financeiras?
  • Qual a importância das certificações do mercado financeiro?
  • Como obter uma certificação do mercado financeiro?
  • Quais as principais certificações financeiras?
  • Quando é preciso ter uma certificação financeira?

O mercado financeiro é um assunto do seu interesse? Se sim, você pode querer separar alguns minutos para ler esses conteúdos que separamos para você:

O que são as certificações financeiras?

As certificações do mercado financeiro são atestados voltados a profissionais desse setor que exercem duas principais funções:

  • Assegurar a especialização da pessoa em determinado assunto;
  • Permitir que esses profissionais atuem em suas áreas de interesse, dentro das atribuições contempladas pela certificação.

Adicionalmente, elas também desempenham um papel regulatório, na medida em que garantem que o público em geral lide apenas com especialistas que têm propriedade para ocuparem suas posições.

Por fim, as certificações financeiras também apresentam uma proposta educacional, na medida em que precisam ser atualizadas de tempos em tempos. Isso leva o profissional a estar sempre se atualizando de novas tendências e práticas do mercado, mantendo seu conhecimento em dia.

Qual a importância das certificações do mercado financeiro?

A grande importância das certificações vem da credibilidade que elas conferem. Não só ao profissional, como mencionamos no tópico anterior, mas também ao mercado de forma geral.

Isso porque, no mundo dos investimentos, o que está sendo movimentado é o dinheiro das pessoas – um dos recursos mais valiosos da vida de qualquer pessoa. Por conta disso, quanto mais profissionais especializados e competentes o mercado ou alguma instituição em específico tiver, maior será a sua credibilidade e seu destaque.

Da mesma forma, também é uma forma de proteger os investidores contra ofertas fraudulentas ou baseadas em interesses pessoais, por exemplo. Isso porque, no Brasil, só podem fazer indicações de investimentos os profissionais especializados nesse mercado.

Como obter uma certificação do mercado financeiro?

De forma geral, é possível conseguir uma certificação ao realizar exames e avaliações. Elas são oferecidas por uma série de instituições, como por exemplo:

  • Associação Brasileira das Entidades dos Mercado Financeiro e de Capitais (Anbima);
  • Comissão de Valores Mobiliários (CVM);
  • Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec);
  • Associação Brasileira de Planejamento Financeiro (Planejar);
  • Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord).

Vale notar que, embora qualquer pessoa possa se tornar investidora, o mesmo não é verdade para profissionais especializados. Muitas vezes, essas certificações contam com pré-requisitos específicos, que devem ser cumpridos para que tudo seja devidamente oficializado. Por conta disso, é importante conhecer as principais para que você saiba qual mais se adequa à sua realidade.

Quais as principais certificações financeiras?

Neste post falaremos, sobre 7 das principais certificações financeiras do mercado brasileiro, bem como a instituição responsável, propósitos, pré-requisitos, modelo de exame, preço e validade. Confira a seguir:

CPA-10

  • Instituição responsável: Anbima;
  • Propósito: a CPA-10 (Certificação Profissional Anbima Série 10) é destinada a profissionais que atuam na distribuição de produtos de investimento em agências bancárias ou plataformas de atendimento, além de estudantes e profissionais de autarquias ou órgãos públicos. Recomendada para quem está começando no mundo dos investimentos ou ainda não tem certeza se é a área que pretende seguir;
  • Pré-requisitos: não há;
  • Modelo de exame: prova presencial com 50 perguntas sobre economia, finanças, investimentos pessoais, princípios éticos e regulamentação. O mínimo de acertos é de 70% (35 questões). O exame tem 2h de duração;
  • Preço: R$ 250 para colaboradores de empresas associadas à Anbima e R$ 300 para os demais;
  • Validade: 5 anos (profissionais com vínculo profissional) ou 3 anos (profissionais sem vínculo profissional).

CPA-20

  • Instituição responsável: Anbima;
  • Propósito: a CPA-20, por sua vez, é destinada a profissionais que atuam na distribuição de produtos de investimento para clientes dos segmentos de varejo alta renda, private, corporate e investidores institucionais em agências bancárias ou plataformas de atendimento. Estudantes e profissionais de autarquias ou órgãos públicos também são incluídos nessa categoria.
  • Pré-requisitos: não há;
  • Modelo de exame: prova presencial com 60 perguntas sobre os mesmos assuntos da CPA-10 – além de compliance e gestão de riscos –, mas de forma mais aprofundada. O mínimo de acertos também é de 70% (nesse caso, 42 questões), com duração de 2h30;
  • Preço: R$ 360 para associados, R$ 430 para os demais;
  • Validade: 5 anos para vinculados, 3 anos para não vinculados.

Vale notar: a CPA-20 automaticamente permite o exercício das atividades abrangidas pela CPA-10.

CEA

  • Instituição responsável: Anbima;
  • Propósito: a CEA (Certificação Anbima de Especialistas em Investimento) é uma certificação voltada à habilitação de profissionais do mercado financeiro para que possam atuar como especialistas em investimentos. Com ela, esses profissionais podem recomendar produtos de investimento para clientes de diversos segmentos, além de assessorar gerentes de contas e bancos;
  • Pré-requisitos: não há;
  • Modelo de exame: prova com 3h30 de duração e 70 questões, sendo necessário acertar pelo menos 49 para aprovação. Os assuntos abordados são similares aos da CPA-20, abrangendo também a área de planejamento financeiro e gestão de carteiras;
  • Preço: R$ 520 para associados, R$ 630 para outros;
  • Validade: 5 anos para vinculados, 3 anos para não vinculados.

CGA

  • Instituição responsável: Anbima;
  • Propósito: A CGA (Certificação de Gestores Anbima), por fim, habilita profissionais a atuarem com gestão de recursos de terceiros em fundos de investimento de renda fixa, ações, cambiais, multimercados, carteiras administradas e fundos de índice. Para quem ocupa cargos com poder de decisão de compra e venda dos ativos financeiros que integram as carteiras desses veículos de investimento, ela é obrigatória.
  • Pré-requisitos: não há;
  • Modelo de exame: a prova conta com 60 questões. O candidato, para ser aprovado, precisa acertar pelo menos 42, em um período de 2h30. Elas incluem temáticas como gestão de carteiras, formação de preço de ativos, estatística, entre outras. É considerada uma das certificações de mais difícil obtenção;
  • Preço: R$ 550 para profissionais de empresas associadas, R$ 650 para os demais;
  • Validade: vale por tempo indeterminado, contanto que o profissional esteja atuando como gestor. Caso não esteja, a validade é de 3 anos.

AAI

  • Instituição responsável: Ancord;
  • Propósito: a AAI (Agentes Autônomos de Investimento) é a certificação indicada para quem deseja se tornar assessor de investimentos. Em outras palavras, se você quer ser um profissional associado a uma corretora para vender produtos dela e ganhar comissões no processo, bem como tirar dúvidas de clientes sobre o tema, esse é o exame que você deve procurar;
  • Pré-requisitos: não há;
  • Modelo de exame: a prova traz 80 questões, divididas em 15 capítulos. São testados conhecimentos a respeito de temas como compliance e regulações, por exemplo, bem como produtos de investimento. Para aprovação, são necessários pelo menos 56 acertos. Além disso, nos capítulos I, II, III, VIII e XV é preciso acertar no mínimo 50% das questões;
  • Preço: R$ 460;
  • Validade: 5 anos para credenciados, 1 ano para não credenciados.

Vale notar: a AAI não capacita o profissional para a sugestão de investimentos.

CNPI

  • Instituição responsável: Apimec;
  • Propósito: o CNPI (Certificado Nacional do Profissional de Investimento) é ideal para quem procura se profissionalizar como analista de investimentos. Trabalhos nessa área envolvem produção de relatórios, além de permitir o aconselhamento a respeito da compra de ativos;
  • Pré-requisitos: não há;
  • Modelo de exame: essa certificação se divide em duas provas. A primeira é focada na estrutura do mercado e produtos de regulação e conta com 75 questões, enquanto a segunda prioriza questões sobre análise fundamentalista ou grafista, em 72 questões;
  • Preço: entre R$ 457 e R$ 762;
  • Validade: 5 anos.

CFP

  • Instituição responsável: Associação Brasileira de Planejamento Financeiro (Planejar);
  • Propósito: é uma certificação que se diferencia das outras mencionadas anteriormente, na medida em que a Certified Financial Planner (planejador financeiro certificado, em tradução livre) é uma distinção, não uma exigência profissional necessária para exercer uma função;
  • Pré-requisitos: curso superior, experiência em relacionamento com pessoas físicas e no mínimo 3 anos de experiência no mercado financeiro. É necessário, ainda, seguir e cumprir um código de ética que norteia a prática dos planejadores financeiros;
  • Modelo de exame: a prova foca principalmente em temas de planejamento, mas também abrange investimentos, gestão de riscos, aposentadoria, entre outros. Ao todo, são 140 questões, com um mínimo de 98 acertos totais. Em cada um dos seis módulos do exame, o candidato precisará acertar 50% das questões;
  • Preço: o exame completo custa R$ 1.430;
  • Validade: 2 anos. Adicionalmente, existe um programa de educação continuada no qual é necessário atingir uma pontuação mínima para que a certificação não seja perdida.

Quando é preciso ter uma certificação financeira?

Depende. Como você pôde ver, não há um único cenário em que é necessário ter uma certificação financeira. Elas são necessárias para o exercício de uma série de profissões e funções – assessor de investimentos, distribuição de produtos em agências, recomendação de ativos, entre outras.

Além disso, essas certificações também podem ser ferramentas de especialização, sem que o interessado vá necessariamente trabalhar com as áreas relacionadas. Um investidor individual, por exemplo, pode acabar fazendo uma dessas certificações para adquirir mais conhecimento sobre o assunto, a fim de aperfeiçoar suas estratégias de investimento.

Nesse sentido, vale analisar as características de cada uma delas para entender qual é a mais adequada à sua realidade e aos seus objetivos. Em todo caso, chegamos ao fim deste texto. Esperamos que você tenha gostado de conhecer as certificações do mercado financeiro, bem como a função e as principais informações sobre cada uma delas – preço, validade, modelo de prova, entre outras.

Caso queira ler mais textos como esse, não deixe de ver também os seguintes posts:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.