Copom: ata mostra visões (quase) consensuais

Leia a íntegra da análise da equipe econômica do C6 Bank.

Atualizado em

Tempo de leitura · 3 min

Publicado em

O Banco Central divulgou nesta terça-feira (25) a ata das reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) dos dias 18 e 19 de junho, apresentando mais detalhes sobre a decisão de política monetária.

Economistas do C6 Bank. Da direita pra esquerda Claudia Rodrigues (Head Internacional), Heliezer (Brasil) e Felipe Salles (Head) estão na primeira fileira. Felipe Mecchi (Internacional) e Claudia Moreno (Head Internacional) estão atrás.
Time de Economia do C6 Bank. Imagem: Wanezza Soares.

No comunicado em que anunciou a decisão, o Copom optou pela interrupção do ciclo de corte de juros e manteve a Selic em 10,5%. A decisão foi unânime, sinalizando coesão dentro do Comitê. No texto divulgado hoje, ao argumentar e explicar em mais detalhes a discussão sobre a decisão, o Comitê manteve essa retórica, sem indicar divisão significativa entre os seus participantes.

No âmbito doméstico, o Comitê deu destaque à dinâmica da inflação de serviços à frente. A autoridade monetária afirmou que “a inflação de serviços, que tem maior inércia, assume papel preponderante na dinâmica inflacionária no estágio atual”.  

Sobre a atividade econômica, após novas surpresas altistas nos dados, o Comitê avaliou que o hiato do produto passou de “levemente negativo” para “em torno da neutralidade”. Por último, o Copom antecipou a reavaliação da taxa de juros neutra, discussão que era esperada para a publicação o Relatório Trimestral de Inflação. O Comitê elevou marginalmente a hipótese de taxa de juros real neutra em seus modelos de 4,5% para 4,75%.  Ou seja, as projeções do Comitê desta última reunião já incorporam a atualização do hiato do produto, assim como a revisão da taxa de juros neutra. Na nossa visão, essa revisão elimina possíveis riscos que poderiam ser considerados altistas para as projeções de inflação.

Por outro lado, na discussão sobre o balanço de riscos, o texto mostrou que há opiniões diversas neste debate, com parte do Copom expressando receio que o hiato do produto continue mostrando resiliência. A conclusão foi que o Comitê “majoritariamente decidiu por manter o balanço de riscos simétrico nessa reunião”. Ou seja: não houve unanimidade sobre o balanço de riscos e uma parte minoritária do Copom considera riscos de uma inflação mais alta.

Projetamos Selic estável em 10,5% até o final de 2024 e em 9% ao final de 2025.

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles                   Head

Claudia Moreno      Head Brasil

Claudia Rodrigues    Head Internacional

Felipe Mecchi               Internacional

Heliezer Jacob            Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.