Leitura de 7 min

Como juntar R$ 1 milhão antes dos 30 anos?

Educador financeiro do C6 Bank mostra como é possível chegar ao primeiro milhão tendo uma mentalidade de longo prazo

Atualizado em

mulher com roupa social clara olhando para o alto enquanto segura celular na mão e pensa em como juntar 1 milhão de reais
Juntar 1 milhão antes dos 30 anos é difícil, mas é possível

Saber como juntar 1 milhão de reais antes dos 30 anos é o sonho de muitos brasileiros. Seja para comprar um imóvel, abrir o próprio negócio, investir para viver de renda passiva, aproveitar diferentes produtos e serviços ou qualquer outro objetivo, esse é um número almejado por muita gente.

A boa notícia é que isso é possível, e não depende de uma vitória na loteria ou de uma grande herança. De fato é uma missão que não é simples e exige paciência, mas é possível.

Para ajudar você a entender como conseguir 1 milhão em diferentes prazos, chamamos o Prof. Liao, head de educação do C6 Bank e experiente investidor para nos ajudar. Ao longo da matéria, você aprenderá:

  • Como juntar R$ 1 milhão antes dos 30?
  • Como juntar R$ 1 milhão a curto prazo?
  • Como juntar R$ 1 milhão em 3 anos?
  • Como juntar R$ 1 milhão a longo prazo?
  • Quais as melhores classes de ativo para esse tipo de investimento?

Quer aprender mais sobre investimentos? Então veja também essas matérias relacionadas:

Como juntar R$ 1 milhão antes dos 30?

Para juntar R$ 1 milhão antes do 30, o seu maior aliado é o tempo. Isto é: quanto mais cedo você começar, menos precisa investir por mês para cumprir seu objetivo, o que torna o processo consideravelmente mais fácil. Além disso, o efeito “bola de neve” dos juros compostos ajuda a aumentar seus rendimentos, o que também encurta o caminho até o milhão, pois seu patrimônio terá mais tempo para se multiplicar.

O Prof. Liao fez alguns cálculos para dar exemplos na prática: segundo ele, quem começar a investir com 18 anos teria que fazer aportes mensais de R$ 3.100 para chegar ao primeiro milhão antes dos 30. O cálculo considera uma carteira balanceada com renda fixa e variável que renda 1% ao mês líquido de Imposto de Renda por todo o período. Já para quem começar no mercado financeiro com 22 anos, seria necessário dobrar os aportes mensais para R$ 6.200 para alcançar o mesmo objetivo, o que reforça a importância da variante “tempo” nesse desafio.

Vale notar, no entanto, que antes de pensar em como juntar um milhão com 30, o recomendado é montar uma reserva de emergência. É possível – e provável – que, na sua jornada do 1 ao 1 milhão de reais, você se depare com imprevistos e ocorrências que não estavam inclusas no seu planejamento financeiro.

Para lidar com esses gastos sem precisar abrir mão dos aportes, é interessante ter uma quantia guardada e pronta para esse tipo de uso – e é exatamente essa a função da reserva, que deve cobrir de 3 a 6 meses do seu custo de vida. Fica a dica: na hora de montá-la, dê preferência a produtos de renda fixa e alta liquidez como os CDBs de liquidez diária, que podem ser acessados assim que surgir a necessidade.

Como juntar R$ 1 milhão a curto prazo?

Para quem deseja juntar R$ 1 milhão em um tempo muito curto, os investimentos provavelmente não são o caminho mais adequado. Não existem produtos financeiros com rendimentos tão elevados, e ganhar na Mega-Sena não é investir e muito menos pode ser considerado um plano concreto. Na verdade, se você encontrar alguma oferta milagrosa que prometa ganhos nesse patamar em tão pouco tempo, desconfie: pode se tratar de uma fraude ou golpe, como uma pirâmide financeira.  

Como juntar R$ 1 milhão em 3 anos?

3 anos, embora já comece a caminhar para um panorama de médio prazo, ainda é um tempo curto quando o objetivo é se tornar milionário. Mesmo investindo em ativos de muito risco, que rendem mais de 200% do CDI e sejam líquidos de Imposto de Renda, ainda seria necessário fazer aportes mensais superiores a R$ 20 mil por mês a fim de chegar ao milhão dentro desse período.

Mais uma vez, reforçamos que não existe fórmula mágica. Ganhos elevados em curto prazo tendem a depender mais da sorte, muitas vezes configurando ofertas fraudulentas.

Como juntar R$ 1 milhão a longo prazo?

Para quem topar o longo prazo para atingir o primeiro milhão, a chave é a consistência. Os aportes podem ser menores, mas é importante que sejam constantes, e que o investimento se torne um hábito.

Quem quiser ter essa quantia aos 40 anos, deve fazer aportes mensais de R$ 770 a partir dos 18 anos. Já para quem pretende ter R$ 1 milhão aos 50 anos, o valor das aplicações diminui para R$ 220.

Liao reforça que o investidor não deve acreditar em propostas milagrosas de enriquecimento fácil. “Na ânsia de ganhar dinheiro rapidamente, muitas pessoas acabam investindo naquilo que não conhecem e assumindo um risco maior do que aquele que podem correr”, afirma.

“Investir deve ser, acima de tudo, um hábito. Mesmo que você comece com pouco, com o passar do tempo, vai conhecer melhor as opções disponíveis, aumentar sua capacidade de investimento e ficar mais próximos dos seus objetivos”, explica o professor. 

Isso é especialmente importante quando se leva em consideração que, de acordo com pesquisa C6 Bank/Ipec realizada em fevereiro de 2022 com 2.000 brasileiros das classes ABC com acesso à internet, 40% da população acredita que é possível ganhar muito dinheiro em pouco tempo.

“Investir não é só para quem quer ficar rico rapidamente. Para estes, a solução é apostar ou especular, mas com grande chance de não dar certo”, alerta Liao. “Investir serve para ter tranquilidade no curto prazo, realizar sonhos no médio prazo e manter a qualidade de vida no longo prazo. Para isso, o mais importante é ter disciplina, respeitar seu perfil de risco e começar cedo”, finaliza.

Quais as melhores classes de ativo para esse tipo de investimento?

A chave para chegar a esse tipo de objetivo é diversificar.Isso significa que as melhores classes incluem:

Produtos de renda fixa:

  • CDBs com prazos mais longos;
  • Fundos de crédito privado;   

Produtos de renda variável:

  • Ações;
  • Fundos de investimentos em ações;
  • Fundos multimercados;
  • ETFs;
  • Fundos imobiliários.

Para fazer essa diversificação, você pode contar com a ajuda do C6 Bank. Isso porque oferecemos o C6 TechInvest, um produto de carteira administrada que busca a diversificação através do balanceamento de ativos nacionais e internacionais.

Funciona assim: o cliente acessa nosso app, clica em “C6 Invest” e depois em “C6 TechInvest”. O primeiro passo é responder ao questionário suitability, para que você descubra seu perfil de investidor e nós consigamos identificar seus objetivos e o risco que está disposto a correr.

A partir daí, o C6 TechInvest sugere uma carteira personalizada, sem intermediários, e que oferece a melhor rentabilidade para o risco definido. Você ainda tem a autonomia para modificar o que foi sugerido e aumentar ou diminui a exposição em determinados ativos.

O investimento mínimo é de R$ 1 mil e a taxa de administração é de 0,7% ao ano sobre o total investido. O resgate do dinheiro cai na conta um dia útil após o pedido.

Chegamos ao final deste texto. Esperamos que você esteja mais motivado para começar sua jornada rumo aos R$ 1 milhão com 30, e que esse texto ajude na estruturação do seu planejamento financeiro.

Quer ler mais conteúdos sobre educação financeira? Confira também:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.