Leitura de 8 min

Resumo Semanal: IPCA abaixo do teto da meta em 2023

Confira as principais notícias da semana, segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank

Atualizado em

Confira as principais notícias da semana (8/1-12/1), segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank. Leia a íntegra do relatório.

Internacional

Estados Unidos: inflação ao consumidor resiliente

A inflação segue robusta. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,3% em dezembro frente ao mês anterior, de acordo com o Departamento do Trabalho. O núcleo do índice (exclui alimentos e energia) também registrou aumento de 0,3%. Na composição, a inflação de bens continua benigna e não causa preocupações, mas a inflação de serviços, que representa mais de 70% do núcleo, segue pressionada pelo mercado de trabalho aquecido, que eleva os custos de produção. Em 12 meses, o núcleo do CPI subiu 3,9%, permanecendo bem acima da meta do banco central norte-americano. Outro relatório do Departamento do Trabalho mostrou que o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) retraiu em dezembro. Nos últimos 12 meses, o PPI acumula alta de 1%, ritmo similar ao período pré-pandemia.

O índice de otimismo das pequenas empresas, medido pela Federação Nacional de Empresas Independentes (NFIB, na sigla em inglês), aumentou 1,3 ponto para 91,9 em dezembro, mas permanece abaixo do nível pré-pandemia. Segundo a pesquisa, a economia deve seguir em leve expansão e o mercado de trabalho robusto e desacelerando lentamente, mantendo salários elevados e pressionando a inflação de serviços.

Em relatório semanal, os pedidos iniciais de seguro-desemprego continuam em níveis baixos para padrões históricos, em 202 mil na semana encerrada em 6 de janeiro, 1 mil abaixo da semana anterior revisada.

Europa: atividade fraca

A guerra entre Rússia e Ucrânia se estende e está próxima de completar dois anos. O conflito segue sem perspectiva de fim próximo.

As vendas no varejo continuaram baixas em novembro, diminuíram 0,3% frente ao mês anterior depois de expansão de 0,4% em outubro, segundo dados do Eurostat. O dado veio praticamente em linha com o esperado e segue abaixo da tendência pré-pandemia. A redução nas vendas ocorreu apesar do aumento na renda e da queda da inflação.

A confiança na economia segue baixa. O índice de sentimento econômico, calculado pela Comissão Europeia, subiu 2,4 pontos na prévia de dezembro para 96,4. A confiança segue fraca entre consumidores e nos setores de manufaturas e serviços.

O mercado de trabalho continua robusto. A taxa de desemprego diminuiu para 6,4% em novembro, o mínimo da série histórica, o que deve manter pressão sobre salários. O índice divulgado pelo Eurostat mostra heterogeneidade entre as economias do bloco. O desemprego permanece baixo na Alemanha (3,1%), mas alto na Espanha (11,9%).

No Reino Unido, a atividade expandiu 0,3% em novembro frente ao mês anterior, segundo o escritório nacional de estatísticas (ONS, na sigla em inglês). O dado mensal é mais volátil, portanto, vale considerar a variação dos últimos 3 meses que registrou retração de 0,2%. No mês de novembro, houve aumento na produção industrial (0,3%) e serviços (0,4%), mas redução no setor de construção (-0,2%).

China: demanda doméstica fraca

O fluxo de crédito agregado diminuiu em dezembro, veio abaixo do esperado e segue fraco. O volume total de crédito foi de 1,94 trilhão de yuans, segundo o Banco Central da China (PBOC, na sigla em inglês). Empréstimos bancários decepcionaram no mês, com dados fracos de empréstimos às famílias, mas fortes para as empresas. O principal fator para o crescimento foi o aumento da emissão de títulos pelos governos, seguindo as diretrizes definidas no último Politburo, órgão de cúpula do partido comunista.

A balança comercial teve superávit de 75,34 bilhões de dólares em dezembro, maior que o esperado e que o registrado no mês anterior. Houve melhora das exportações (2,3%) comparadas ao mesmo mês do ano passado e leve aumento das importações (0,2%), apesar da queda nas importações de petróleo, minério de ferro e cobre. Considerando os principais destinos, as exportações diminuíram para os Estados Unidos, Rússia e América Latina, mas tiveram forte aumento para a União Europeia e Japão. Por produtos, as exportações foram puxadas por bens de consumo. Ao longo do ano, as exportações tiveram bom desempenho devido à diversificação de produtos e destinos – que incluíram Ásia Emergente, América Latina, Rússia e África. No entanto, a participação da China nas exportações globais deve diminuir em razão da realocação da cadeia de produção global, que vem ocorrendo desde 2022.

A inflação ao consumidor segue em contração em dezembro, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas chinês (NBS, na sigla em inglês). Esta foi a terceira queda consecutiva, puxada pelos preços de alimentos, energia e bens de consumo. O índice cheio encolheu 0,3% no acumulado de doze meses até dezembro, mas o núcleo do índice, que exclui alimentos e energia, subiu 0,6% no mesmo período. O fraco desempenho da inflação sugere uma demanda doméstica frágil. O índice de preços ao produtor (PPI) retraiu 2,7%, com menor preço de energia no mercado internacional. Esta foi a décima quinta queda consecutiva.

Commodities: volatilidade com tensões no Oriente Médio

O conflito entre Israel e o Hamas está no terceiro mês. Não houve impacto relevante nos mercados globais por enquanto, mas a atenção continua quanto a uma possível escalada do conflito na região, que é a maior exportadora de petróleo. A crise geopolítica pode demorar algum tempo.

O preço do ouro caiu na semana, mas segue mais de 10% acima do registrado antes do início do conflito entre Israel e Hamas (6/10). O aumento recente também está relacionado a expectativas de cortes de juros pelo banco central americano.

O preço futuro do petróleo (Brent) teve queda de 0,23% na semana de 4 a 11 de janeiro, fechando o período em 77,6 dólares por barril. A semana tem apresentado forte volatilidade em razão da instabilidade no Oriente Médio – o conflito em Gaza e ataques de milícias a navios cargueiros no Mar Vermelho. Na noite da quinta-feira, os Estados Unidos e Reino Unido lançaram uma série de ataques aéreos contra os Houthis no Iêmen. O presidente norte-americano afirmou que a medida foi apoiada por diversos países aliados e que, caso necessário, outras medidas podem ser tomadas contra o grupo. Após os ataques, o preço do barril de petróleo chegou a 80 dólares, trazendo temores de uma escalada do conflito na região.

O preço futuro do gás natural na Europa segue baixo. Os estoques da commodity no continente europeu apresentaram queda de 7,76% na semana de 4 a 11 de janeiro, com os dados elevados de estoques dando alívio aos preços. Desde o início do conflito entre Rússia e Ucrânia, o preço do gás natural recuou e está em menos da metade do preço de janeiro de 2022 (pré-guerra).

O preço futuro das commodities agrícolas na Bolsa de Chicago apresenta leve queda. Na semana de 4 e 11 de janeiro, os preços do trigo, do milho e da soja caíram 1,6%, 1,9% e 2,4%, respectivamente.

Brasil

Focus: projeções de inflação estáveis no primeiro boletim de 2024

As projeções para o IPCA ficaram estáveis para 2024 (3,9%), 2025 (3,5%) e 2026 (3,5%). Os números esperados para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) não tiveram alterações para 2023 (2,92%), porém registraram alta para 2024 (de 1,52% para 1,59%). A taxa Selic permaneceu em 9% para 2024 e em 8,5% para 2025 e 2026. As projeções estão no Boletim Focus, relatório do Banco Central que reúne a expectativa das instituições financeiras em relação aos principais indicadores econômicos do país.

Inflação: IPCA encerra 2023 abaixo do teto da meta

O IPCA de dezembro registrou alta de 0,56%, acima da nossa projeção (0,52%) e do consenso de mercado (0,50%). O índice encerrou 2023 com uma expansão de 4,62%, abaixo do teto da meta de 4,75% do ano passado. A principal surpresa no mês veio do grupo de alimentação no domicílio, que subiu 1,3%. Apesar da alta em dezembro, em 2023 essa categoria apresentou deflação de 0,5%, a primeira para um ano desde 2017. A média dos núcleos da inflação calculada pelo Banco Central, uma medida mais limpa da tendência dos preços, mostrou desaceleração e fechou 2023 com alta de 4,3%. Adicionalmente, no ano passado, a inflação de serviços foi de 6,2% e a de bens industriais de 1,1%. A inflação de serviços deve permanecer pressionada em função do mercado de trabalho apertado. Para 2024, nossa previsão é que o IPCA fique em 5,3%.

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.