Leitura de 8 min

O que é IGP-M? Como acompanhar o preço dos produtos em 2022?

O IGP-M é um importante indicador econômico usado no reajuste de tarifas públicas, aluguéis e outros objetivos

Atualizado em

laptop aberto sobre mesa exibindo gráfico que representa o igp-m em sua tela
O IGP-M é divulgado todos os meses para mostrar a variação dos preços de uma série de itens

O IGP-M é um indicador divulgado todos os meses pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), sendo responsável por acompanhar a oscilação de preços de diferentes itens. Além disso, é muito usado para outro propósito também importante: o da atualização dos preços de aluguéis.

Com essas informações, já para ter uma ideia da importância do IGP-M. Pensando nisso, o C6 Bank preparou este post, a fim de discutir mais detalhadamente o indicador e as funções por ele desempenhadas. Nossa intenção é que, ao final do texto, você tenha aprendido:

  • O que é IGP-M?
  • Quais são as diferentes versões do IGP?
  • Qual o valor do IGP-M?
  • O que significa IGP-M acumulado em 12 meses?
  • Como o IGP-M é calculado?
  • Histórico do Índice Geral de Preços
  • Qual a diferença entre IPCA e IPG-M?
  • Como aplicar o índice para calcular o valor do aluguel?
  • Qual a relação do IGP-M com investimentos?
  • Como acompanhar a variação do índice?

O IGP-M é apenas um dos indicadores econômicos brasileiros. Para conhecer outros, separe alguns minutos para ler esses materiais que preparamos para você:

O que é IGP-M?

O IGP-M, sigla para Índice Geral de Preços – Mercado, é um indicador econômico brasileiro criado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) no final da década de 40 com o objetivo de monitorar e acompanhar oscilações no valor da moeda brasileira, bem como nos preços de diversos produtos, englobando etapas distintas do processo produtivo.

Além disso, o IGP-M responde, parcialmente, pelos reajustes tarifários dos segmentos de telefonia e energia elétrica. Adicionalmente, serve como referência para o setor imobiliário, no reajuste de boa parte dos contratos de aluguel.

Por fim, o índice também pode ser citado em contratos público-privados de diversos segmentos. Alguns de seus componentes podem, ainda, servir de referência para reajustes de preços. Na prática, isso significa que o papel exercido por ele é importante tanto para a indústria quanto para a população, seja você investidor ou não.

Sua divulgação é mensal, existindo também uma versão decendial – isto é, divulgada com uma periodicidade de 10 dias.

Quais são as diferentes versões do IGP?

O IGP é o índice principal, sendo responsável por todos os papéis que mencionamos no tópico anterior – monitoramento do valor do real, preços, reajustes tarifários. No entanto, ele se divide em três versões, cuja diferença se refere ao momento em que os preços são apurados, de acordo com a lista abaixo:

  • IGP-10: preços são apurados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de coleta;
  • IGP-DI: preços apurados entre os dias 1 e 30;
  • IGP-M: o mais popular deles e tema deste texto, tem a apuração de preços realizada entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de coleta.

Qual o valor do IGP-M?

De acordo com a última divulgação, relativa ao mês de outubro de 2022, o IGP-M apresentou deflação de -0,97% em relação a setembro de 2022. Já na análise do ano, acumula alta de 5,58%. No acumulado dos últimos 12 meses, a elevação é de 6,52%.

Em outras palavras, os preços dos itens analisados caíram 0,97% no período de um mês, mas aumentaram 5,58% ao longo de 2022 até o momento e 6,52% entre outubro de 2021 e outubro de 2022.

O que significa IGP-M acumulado em 12 meses?

“Acumulado em 12 meses” é uma métrica usada não só pelo IGP-M, mas por vários indicadores econômicos. Você provavelmente já ouviu falar em inflação acumulada, por exemplo.

O sentido do termo vem do período de tempo ao qual ele se refere. No caso de um acumulado em 12 meses, está sendo analisada a variação do indicador em questão ao longo do período de um ano. Se o dado está sendo divulgado em novembro, por exemplo, então o período avaliado começa a partir de novembro do ano anterior.

Como o IGP-M é calculado?

cálculo do IGP-M leva em consideração a variação de preços de bens e serviços, matérias-primas utilizadas na produção agrícola, industrial e construção civil. Ele é a média aritmética ponderada da inflação ao produtor (IPA), consumidor (IPC) e construção civil (INCC), no período analisado.

O peso de cada índice corresponde ao impacto deles na economia. Dessa forma, o resultado .é a seguinte distribuição entre os setores:

  • IPA: 60%;
  • IPC: 30%;
  • INCC: 10%.

O cálculo do IGP-M, conforme mencionado, é feito analisando os dados correspondentes ao período entre o dia 21 do mês anterior até o dia 20 do mês de referência. As informações, por sua vez, são divulgadas de forma mensal, ao final do mês avaliado. Adicionalmente, vale notar que, na hora de calcular do IGP-M, a FGV leva em conta dados de sete capitais brasileiras:

  • Belo Horizonte;
  • Brasília;
  • Porto Alegre;
  • Recife;
  • Rio de Janeiro;
  • Salvador;
  • São Paulo.

Histórico do Índice Geral de Preços

Conheça o histórico do Índice Geral de Preços 

Mês de referência IGP-M (%) 
4/240,31%
3/24– 0,47
2/24– 0,52
1/240,007

IGP-M em 2023 

Já nos nove meses de 2023, a tabela ficou da seguinte maneira: 

1/20230,21%
2/2023-0,06%
3/20230,05%
4/2023-0,95%
5/2023-1,84%
6/2023-1,93%
7/2023-0,72%
8/2023-0,14%
9/20230,37%
10/20230,50%
11/20230,59%
12/20230,74%

IGP-M em 2022

Na tabela abaixo, você confere o histórico do IGP-M ao longo de 2022. Veja:

Mês de referênciaIGP-M (%)
10/20210,64
11/20210,02
12/20210,87
01/20221,82
02/20221,83
03/20221,74
04/20221,41
05/20220,52
06/20220,59
07/20220,21
08/2022-0,70
09/2022-0,95
10/2022-0,97

Já no gráfico a seguir, mostramos o IGP-M acumulado desde a implementação do indicador, em 1989:

gráfico de linha ilustrando o histórico do igp-m ao longo do tempo
Fonte: FGV

Qual a diferença entre IPCA e IGP-M?

Embora ambos sejam indicadores usados para medir a variação de preços no Brasil, IGP-M e IPCA apresentam algumas diferenças cruciais:

  • Instituição responsável: apesar do propósito similar, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é medido e divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já o IGP-M, conforme mencionado anteriormente, é calculado pela FGV, instituição independente do governo;
  • Produtos analisados: no caso do IPCA, a cesta de produtos considerada tem cerca de 350 itens. Já no cálculo do IGP-M, levam-se em consideração mais de 1.400 produtos, o que ajuda a tornar a avaliação mais abrangente e, muitas vezes, mais precisa em relação à realidade.
  • Objetivo: o IGP-M é usado majoritariamente no sentido do reajuste de preços em diversos setores. O IPCA, por sua vez, está muito mais relacionado com a inflação, sendo adotado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) como referência para aumentar ou diminuir a taxa Selic, taxa de juros básica do Brasil.

Como aplicar o índice para calcular o valor do aluguel?

A aplicação do IGP-M no reajuste de aluguéis é simples, e pode ser explicada em apenas alguns passos:

  1. Primeiro, descubra qual é o índice acumulado no ano. Para esse exemplo, digamos que tenha sido 5%;
  2. Divida esse valor por 100 – neste caso, o resultado de 5/100 = 0,05;
  3. Some 1 ao resultado: 0,05 + 1 = 1,05;
  4. Multiplique o valor atual do aluguel pelo resultado obtido acima. Para alguém que pagava R$ 2.000 por mês, após o reajuste o novo aluguel será de 2.000 x 1,05 = R$ 2.100.

A data do reajuste normalmente será informada no contrato de locação. Mesmo assim, é importante ficar atento a quaisquer mudanças para não ser pego de surpresa por uma atualização dos preços.

Qual a relação do IGP-M com investimentos?

Essa relação pode se apresentar de múltiplas maneiras. Primeiramente, é importante notar que diversos investimentos em renda fixa – alguns títulos públicos, letras de crédito e certificados de recebíveis, por exemplo – têm o IGP-M como indexador de rentabilidade, de forma a preservar o poder de compra do valor investido. Isso porque, caso o índice suba, os rendimentos acompanham esse crescimento.

Em ativos desse tipo, a rentabilidade costuma trazer também uma taxa fixa, para evitar prejuízos no caso de queda do índice.

Da mesma forma, na renda variável os efeitos do IGP-M também podem ser sentidos. Isso porque muitos fundos imobiliários optam por investir, pelo menos parcialmente, nos produtos de renda fixa mencionados acima. É o caso das letras de crédito imobiliário (LCIs) e certificados de recebíveis imobiliários (CRIs).

Como acompanhar a variação do índice?

Para acompanhar a variação do IGP-M, você pode voltar a este post toda vez que precisar. Nós atualizaremos os dados do indicador de acordo com as novas divulgações que forem feitas pela FGV, para que você esteja sempre sintonizado com os novos valores.

Vale lembrar que o IGP-M é calculado entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência, sendo divulgado ao final do mês analisado. Por isso, fique atento a esse período de tempo para sempre ter acesso aos dados mais recentes.

Em todo caso, este texto se encerra por aqui. Esperamos que você tenha aprendido bastante sobre o IGP-M: o que é e para que serve, seu cálculo, importância e valores, tanto atuais quanto ao longo do tempo. Apesar de ser apenas um dos indicadores econômicos brasileiros, é muito importante conhecê-lo, devido à sua relação direta com os preços no Brasil.

Gostou desse texto e quer ler outros como ele? Então não deixe de conferir também as seguintes matérias:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.