Leitura de 7 min

Como fazer a separação entre conta pessoal e empresarial?

Separar o dinheiro da empresa em uma conta bancária é essencial para seu negócio crescer. Confira algumas formas para fazer isso

Atualizado em

Mulher que trabalha em loja de roupas pesquisando sobre a separação de conta física e jurídica
Juntar as finanças pessoais e empresariais é um dos maiores erros para quem é dono de um negócio

Fazer a separação entre conta pessoal e empresarial é um grande desafio, principalmente para quem empreende sozinho. No entanto, manter as finanças misturadas pode causar bastante confusão, e o dinheiro de uma área de sua vida acaba sendo utilizado para sanar problemas de outra, o que prejudicará tanto a pessoa física quanto a empresa.  

A organização é um dos pilares para uma boa saúde financeira, e separar as despesas contribui muito para esse processo. Criar contas bancárias diferentes para PF e PJ é uma das primeiras atitudes nesse sentido, o que também permite soluções financeiras moldadas para as necessidades de cada área da vida. 

Por isso, nesse post vamos explicar sobre a importância dessa separação, assim como a melhor forma de fazer isso. Confira os principais tópicos: 

  • Qual a importância de separar a vida pessoal da vida empresarial 
  • Como separar o dinheiro da empresa e o pessoal 
  • Como fazer um fluxo de caixa organizado? 

Essa matéria faz parte do C6 Educa, uma série de conteúdos educacionais para empresas que o C6 Bank está desenvolvendo, com dicas do professor Liao, head de educação. Além dela, publicaremos vários outros textos sobre conceitos e práticas tão importantes quanto não misturar as contas PF e PJ.

Qual a importância de separar a vida pessoal da vida empresarial? 

Juntar as finanças pessoais e empresariais é um dos maiores erros para quem é dono de um negócio. Ao fazer isso, as despesas e os gastos de cada área da sua vida não ficam claros. Assim, por exemplo, os ganhos como empresa podem ser usados para custear altas despesas pessoais, fazendo com que você ache que o negócio não vai bem, quando na verdade o ajuste deveria ser em casa.  

Se você quer que seu negócio cresça, tratá-lo de forma profissional é essencial. Nesse sentido, você e sua empresa não são a mesma coisa e não têm as mesmas necessidades e objetivos financeiros, e mantê-las juntas pode atrapalhar as contas de ambas as áreas. 

“Recordo-me de um episódio onde o dono de uma pequena revenda de botijões de gás estava reclamando dos negócios, do preço do gás, e de que não estava lucrando, mesmo vendendo bastante. Neste momento, entra um parente na sala, abre a gaveta do balcão, pega um maço de dinheiro e sai. Acabou a discussão. Não tem como avaliar a lucratividade da revenda se o dono nem sabe quanto dinheiro foi retirado do negócio naquele momento.”, explica Prof. Liao. 

Com a separação das despesas, é possível ver com clareza os verdadeiros ganhos e gastos da empresa, podendo localizar com mais clareza a receita líquida registrada por esse negócio. Por sua vez, um histórico atualizado facilita o processo de declarar corretamente o Imposto de Renda ou a DASN-SIMEI. Misturar as finanças pode fazer com que esses dados sejam enviados incorretamente, o que traz um risco desnecessário para sua operação.  

Por isso, manter todas essas informações em contas distintas ajuda muito a saúde financeira do negócio e, consequentemente, seu crescimento. Com despesas organizadas, fica mais fácil entender o momento que a empresa precisa de maiores investimentos ou se é possível expandir as operações.  

Como separar o dinheiro da empresa e o pessoal 

Uma série de atitudes podem ser tomadas para começar a separação entre conta pessoal e empresarial. Confira algumas delas:  

Mantenha contas bancárias separadas  

O primeiro passo é abrir uma conta PJ para sua empresa. Além de garantir que somente o dinheiro do negócio seja usado para custear suas despesas e investimentos, uma solução financeira empresarial oferece vantagens e benefícios feitos para quem é empreendedor.  

Organize seu fluxo de caixa 

Fazer um fluxo de caixa significa manter um registro de cada entrada e saída na conta da empresa, por menor que seja, além de projetar os fluxos positivos e negativos dos próximos meses. Assim, é possível acompanhar as finanças e entender o momento de seu empreendimento, assim como tomar atitudes rapidamente caso o orçamento saia do controle. 

Defina uma remuneração para você mesmo 

Pró-labore é o termo usado para o “salário” do sócio ou empresário de um negócio. Estabelecer uma remuneração realista para você mesmo é uma forma de garantir que os ganhos da empresa não sejam usados para sua vida pessoal, ao mesmo tempo que você não fica no prejuízo e tem uma boa renda para sustentar sua vida. Se a natureza de receitas do seu negócio for muito volátil, ao invés de estabelecer uma remuneração fixa, é possível pensar em se organizar a partir de um percentual de seus ganhos. 

Monte fundos de emergência  

Ter uma reserva de emergência é uma forma de proteger seu patrimônio pessoal e se preparar para eventuais perdas financeiras no caso de imprevistos como um acidente ou uma doença na família, por exemplo. Criar esse tipo de fundo para seu negócio também pode ser uma boa ideia, para evitar que seus ganhos pessoais precisem ser usados para custear algum imprevisto com a empresa, ou tenha que tomar algum crédito emergencial, geralmente mais caro.  

O ideal é que esse caixa seja suficiente para cobrir as despesas da empresa durante alguns meses, o que pode variar de acordo com a atividade do negócio.  

Como fazer um fluxo de caixa organizado? 

Como já citamos, organizar o fluxo de caixa da empresa é um dos principais passos para separar as finanças pessoais e profissionais. Afinal, não adianta criar contas distintas se não houver um controle sobre o dinheiro que entra e sai.  

Para fazer isso, é preciso ter controle sobre cada transação, assim como os gastos e ganhos que ainda estão previstos. Por menor que seja, é importante registrá-los naquele momento, principalmente para cultivar esse hábito. Além disso, se você tem sócios ou funcionários, o fluxo de caixa é uma forma de garantir a transparência dentro do negócio. 

“Existem ótimos cursos na internet sobre Fluxo de Caixa, que é o primeiro passo para organizar financeiramente um negócio. Sugiro pesquisar na Endeavor, no Sebrae e na IDEA9.”, explica Prof. Liao.   

Como o C6 Bank pode ajudar nessa separação? 

Outra solução para separar suas finanças é com o C6 Bank. Temos opções para pessoa física e pessoa jurídica, e as despesas podem ser centralizadas em nosso app. Cada modalidade conta com benefícios e produtos pensados para suas necessidades financeiras.  

Nossa opção para Pessoa Física dá direito a conta e cartão gratuitos e plataforma de investimentos sem tarifas. Além disso, você tem acesso ao Programa Átomos, o sistema de pontos do C6 Bank. Com ele, você acumula pontos nas compras em funções crédito e débito, que podem ser usados para comprar milhas aéreas, itens na C6 Store ou até mesmo trocar por cashback.  

Além de conta e cartão de crédito empresarial gratuitos, a C6 Empresas também oferece Pix gratuito para PJ e maquininha de cartão C6 Pay. Você consegue gerenciar suas finanças e fluxo de caixa com a plataforma de Web Banking, que centraliza tudo o que seu negócio precisa.  

Para abrir sua conta, é só baixar o app do C6 Bank e fazer a solicitação, que estará sujeita a análise. Assim, fica fácil de separar suas finanças pessoais e empresariais.  

Esse conteúdo é baseado no curso Sua Vida Rica, projeto educacional do C6 Bank voltado para quem é pessoa jurídica e quer organizar sua vida financeira.  

Ainda não é cliente do C6 Bank? Abra uma conta C6 Empresase tenha tudo para seu negócio com uma conta digital, ilimitada e gratuita (sujeito a análise) com cartão, saques, Pix, crédito e muito mais. 

Informações sobre os produtos e serviços do C6 Bank vigentes na data da postagem deste texto. As regras e condições de cada produto e/ou serviço podem ser posteriormente alteradas. Consulte os termos vigentes no momento da contratação pelo app.

Leia também: Consulta do CNPJ: como conferir a situação cadastral da sua empresa?