Leitura de 3 min

Copom deve suavizar sinalização sobre próximos passos

Confira na íntegra a projeção da equipe econômica do C6 Bank para a taxa básica de juros em 2024

Atualizado em

Na imagem, a equipe econômica do C6 Bank está sentada em uma pequena arquibancada, Claudia Rodrigues (Head Internacional), Felipe Salles (Head) e Heliezer (Brasil) estão na primeira fileira. Claudia Moreno (Head Brasil) e Felipe Mecchi (Internacional) na segunda fileira, acima. A equipe sorri para foto e veste roupa neutras. Ao fundo, vista para prédios e árvores.
Equipe econômica do C6 Bank
Foto: Wanezza Soares.

O Banco Central tomará sua decisão de política monetária na próxima quarta-feira (20/3). Esperamos uma nova queda de 50 pontos-base (a sexta consecutiva), com a taxa Selic passando para 10,75% ao ano. Não houve mudança relevante no cenário internacional desde a última reunião. No âmbito doméstico, a inflação como um todo segue desacelerando, mas com persistência da inflação de serviços. Já a atividade doméstica mostrou desaceleração no segundo semestre de 2023, mas os dados mais recentes indicam forte recuperação neste início de ano. A grande questão do texto deste comunicado é se o Comitê de Política Monetária (Copom) irá continuar sinalizando cortes de juros para as próximas reuniões, no plural.

Desde a última reunião, ocorreram poucas mudanças que afetam o cenário prospectivo para a inflação: (i) a projeção de IPCA do Focus ficou estável em 3,8% para 2024 e em 3,5% para 2025; (ii) a taxa de câmbio permaneceu ao redor de R$4,9; (iii) a projeção de taxa de juros do Focus ficou estável em 9% para o ano de 2024 e em 8,5% para 2025. No entanto, nesse período, aumentamos consideravelmente a nossa projeção para o PIB deste ano, que passou de 1,5% para 2,4%. Se o Banco Central tiver uma visão parecida com a nossa, ele pode revisar as projeções para o hiato do produto e torná-las um pouco mais inflacionárias. Ou seja: as previsões de IPCA do Banco Central podem subir em relação a última divulgação – de 3,5% em 2024 e 3,2% em 2025.

Vale lembrar que, nesta reunião de março, o horizonte relevante do Comitê dá mais peso ao ano de 2025 e menor peso ao de 2024. A partir da próxima reunião, em maio, a autoridade monetária irá olhar apenas para o ano de 2025 como foco principal da política monetária.

Conforme sinalizado na reunião de janeiro e em linha com o consenso de mercado, esperamos que o Banco Central reduza a taxa Selic para 10,75% na reunião de março, continuando o ciclo de corte de juros iniciado em agosto do ano passado. Diante da persistência da inflação e da proximidade do fim do ciclo de queda de juros, acreditamos que o Comitê será menos incisivo quanto à sinalização das próximas decisões de política monetária. Esperamos que ele irá retirar do comunicado o plural em relação à sinalização dos próximos passos de política monetária e afirmar que antevê novo corte de juros da mesma magnitude apenas para a próxima reunião.

Mantemos nossa projeção de cortes de 50 pontos-base para as próximas duas reuniões. Projetamos Selic em 9,25% ao final de 2024 e 8,5% ao final de 2025.

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.