Leitura de 7 min

Como calcular o preço médio de uma ação para o Imposto de Renda

O preço médio é uma informação importante na hora de declarar ações no Imposto de Renda

Atualizado em

uma pessoa está segurando uma caneta entre os dedos enquanto digita em uma calculadora e na outra outra mão segura um celular simbolizando o cálculo do preço de ações
Aprenda a calcular o preço de uma ação.

Declarar ações no Imposto de Renda não é uma tarefa tão difícil quanto pode parecer. Para garantir que nenhum erro seja cometido, no entanto, é importante separar um tempo para tirar todas as dúvidas que tiver sobre o tema.

Neste post, vamos ensinar como calcular o preço médio de uma ação, parte central do processo de declaração. Além disso, responderemos às seguintes questões:

  • O que é o preço médio de uma ação?
  • Como calcular o preço médio de uma ação?
  • Quem precisa fazer a declaração de ações no IR 2024?
  • Quais os casos de isenção?

Quer ler outros conteúdos como esse? Então veja esses textos que separamos para você:

Importante: este texto é uma forma de te ajudar na sua busca por informações. Em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.

O que é o preço médio de uma ação?

foto colorida das mãos de mulher não identificada. com as unhas pintadas de rosa, ela segura um celular na mão esquerda enquanto se senta diante de um computador, no qual calcula o custo médio de ações
O custo médio de ações é uma importante informação na declaração do Imposto de Renda

O preço médio de uma ação nada mais é do que a média aritmética dos preços de todas as compras de um determinado título. Isto é: trata-se da soma de todas as aquisições dividida pela quantidade de papéis que você tem.

A importância desse conceito vem do fato de que a compra repetida de uma mesma ação é uma prática extremamente comum no mercado financeiro, especialmente no longo prazo. Quase ninguém chega na B3 e sai comprando ações em lotes de 1. No entanto, muitas vezes essas obtenções são feitas por preços diferentes.

Além disso, esse dado é usado na declaração do Imposto de Renda. No preenchimento do documento é necessário identificá-lo com precisão par a Receita Federal.

Como calcular o preço médio de uma ação?

Para calcular o preço médio de ações, você precisa de quatro informações principais, relacionadas aos custos volumes. Para cada ação adquirida, reúna os seguintes dados:

CustosVolumes
Preço de uma única ação em cada operaçãoVolume de ações adquirido em cada compra
Custo total de aquisição das açõesQuantidade total de ações que você tem

Vamos dar um exemplo para facilitar a visualização. Suponha que, ao longo de um mês, você comprou uma mesma ação duas vezes. Nesse caso, basta multiplicar a quantidade de papéis pelo preço e somar os custos e despesas, apresentados nas notas de corretagem. Veja:

Primeira compra: 200 ações a R$ 10 (200 × 10) = R$ 2.000 + R$ 20 (custos e despesas) = R$ 2.020.

Segunda compra: 500 ações a R$ 12 (500 × 12) = R$ 6.000 + R$ 20 (custos e despesas) = R$ 6.020.

Agora, a parte mais importante: como calcular o preço médio de cada ação. A fórmula geral é a uma fração que pode ser interpretada da seguinte forma:

(preço total 1ª compra + custos e despesas) + (preço total 2ª compra + custos e despesas) / volume total de ações = preço médio

Aplicando os valores do nosso exemplo à fórmula, temos que:

(2.000 + 20) + (6.000 + 20) / 700 = R$ 11,48

Neste exemplo, o preço médio da ação é de R$ 11,48.

Como declarar ações no Imposto de Renda 2024: passo a passo

A seguir, vamos mostrar como você pode fazer a declaração das suas ações no IR 2024. Veja:

1. Junte a documentação necessária

Antes de começar a declaração em si, é importante ter em mãos todos os documentos que comprovem as operações feitas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro do ano exercício, com os valores e o tipo de ativo de cada movimentação, bem como o tipo de venda.

Adicionalmente, também é necessário reunir os Documentos de Arrecadação de Receitas Federais (DARFs), notas de corretagem, informe de rendimentos e até os extratos conhecidos popularmente como “dedo-duro”.

2. Calcule quanto de lucro você teve

Faça o cálculo de preço médio que demonstramos anteriormente. Recapitulando rapidamente:

  • Valor médio de compra: quantidade de ações adquiridas x preço pago + custos e taxas/ total de papéis;
  • Valor médio de venda: quantidade de ações adquiridas x preço vendido – custos e taxas / total de papéis.

Neste processo, talvez apareçam casos em que houve compra do ativo, venda e depois nova aquisição. Nessas situações, o preço da segunda captação não pode interferir na apuração de lucro da venda anterior.

3. Comece a declaração na plataforma da Receita Federal

Declarar o Imposto de Renda é possível por meio do programa disponibilizado pela Receita Federal ou através de preenchimento online, pelo próprio site. Com os dois passos anteriores concluídos, selecione uma dessas modalidades e comece pela declaração dos rendimentos isentos de IR (dividendos e vendas de ações que não ultrapassaram o teto de R$ 20 mil mensais).

Essa etapa é realizada na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. No caso dos lucros e dividendos recebidos, o código adequado é o 09. Já para quem deseja declarar venda de ações abaixo de R$ 20 mil, usa-se o número 20.

Na sequência, você pode fazer a declaração dos juros sobre capital próprio, na ficha de “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva” com o código 10.

4. Preencha a ficha de renda variável

Aqui, é necessário informar os valores de lucro ou prejuízo registrados durante todo o período analisado, mês a mês, no item “Operações Comuns/Day Trade”. Para isso, use como guias os documentos que você separou no começo do processo – especialmente as notas de corretagem, nesse caso.

Vale ressaltar: para apontar prejuízo, adicione um sinal negativo à frente do número. Já para indicar que não houve negociação em determinado mês, insira o número zero.

Por fim, para compensar o dedo-duro, vá até “IR fonte a compensar” e preencha os valores que foram retidos a cada mês. Esses dados podem ser encontrados nos relatórios fornecidos a você pela sua corretora.

5. Ficha Bens e Direitos

O quinto e último passo para declarar ações no Imposto de Renda 2024 é completar a ficha “Bens e Direitos”. Para isso, você deve acessar o grupo 03 (Participações Societárias) e usar o código 01 (Ações).

Em relação às informações necessárias, será solicitado que você insira o nome e o CNPJ da empresa emissora das ações, o ticker do ativo na Bolsa de Valores, a quantidade de papéis, o valor pago por eles e outras vendas ou compras parciais feitas ao longo do ano exercício.

No campo 31/12, preencha com o custo médio das ações multiplicado pela quantidade de papéis que você tinha nessa data. Esse processo precisará ser feito para cada ação que você tiver na carteira.

Quem precisa fazer a declaração de ações no IR 2024?

Quem investe em ações e fez operações acima de R$ 40 mil ou apurou ganhos líquidos sujeitos à tributação precisa declarar o Imposto de Renda em 2024.

Com este texto, você aprendeu mais sobre como declarar ações no Imposto de Renda. A renda variável, no entanto, é uma área ampla. Por isso, não deixe de conferir também os nossos conteúdos relacionados ao Imposto de Renda:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital, peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.