Leitura de 6 min

Onde declarar empréstimo no Imposto de Renda 2023: passo a passo

É preciso declarar empréstimo no Imposto de Renda na ficha de “Bens e Direitos” ou “Dívidas e Ônus Reais”. Para saber mais detalhes sobre o passo a passo, fique atento às informações a seguir.

Atualizado em

uma mão pesquisando em seu notebook como declarar empréstimo no imposto de renda
Conheça abaixo o jeito correto de declarar seu empréstimo no IR 2023.

O prazo para declarar o Imposto de Renda começou e por isso é importante aprender como declarar empréstimo. Mas, antes de mais nada, vale ressaltar que o processo é diferente para casos de crédito pré-aprovado ou com garantia, o que explicaremos mais à frente.

A declaração é obrigatória apenas para os casos que se enquadram nos requisitos para o preenchimento do IR 2023, como quem recebeu mais que R$28.559,70 no ano de 2022.

Além disso, apenas dívidas maiores que R$ 5 mil precisam estar presentes em sua declaração, então fique atento às regras que vamos passar. Descubra, abaixo, quais perguntas serão respondidas:

  • Como declarar empréstimo: passo a passo
  • O empréstimo consignado precisa ser declarado?
  • Preciso fazer a declaração de empréstimo renegociado?
  • O que fazer em caso de empréstimos já declarados?
  • Declaração de empréstimo por antecipação de saque-aniversário      

Gostaria de ler mais conteúdos relacionados ao Imposto de Renda 2023? Aprenda com o que separamos para você:

Importante: este texto é uma forma de ajudar na sua busca por informações. Em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.

Como declarar empréstimo: passo a passo

Existem duas formas de declarar seu empréstimo e tudo vai depender do tipo de crédito escolhido. Descubra em qual modalidade você se enquadra e como realizar o preenchimento corretamente:

Empréstimos pré-aprovados

Alguns exemplos de crédito pré-aprovado são: consignado, empréstimo pessoal e cheque especial. Todos precisam ser declarados da mesma forma.

  1. Informe o código do agente financeiro na ficha de “Dívidas e Ônus Reais”. Dentre as opções estão:
    1.1 “11 Estabelecimento bancário comercial”;
    1.2 “12 Sociedades de crédito, financiamento e investimento”;
    1.3 “13 Outras pessoas jurídicas”;
    1.4 “14 Pessoas Físicas “;
    1.5 “15 Empréstimos contraídos no exterior”;
    1.6 “16 Outras dívidas e ônus reais”.
  2. No campo de “Discriminação”, preencha detalhadamente com as informações do empréstimo, como número de parcelas e dados da instituição financeira, além de quem contraiu a dívida, em caso de declaração com dependentes. Caso tenha solicitado a antecipação total ou parcial, é preciso descrever esta ação em seu IR, pois assim você evita irregularidades no ano que vem;
  3. Em “Situação” 31/12/2021, repita o valor constante na declaração do ano-calendário de 2021. Agora, caso sua dívida tenha sido iniciada no ano passado, deixe em branco o campo 2021.
  4. Em “Situação em 31/12/2022”, informe o saldo devedor do empréstimo.
  5. E em “Valor Pago” 2022 preencha com o valor que foi pago até o último dia do ano-calendário.

Se você tem mais de um empréstimo ativo, é preciso informá-los individualmente. Após finalizar o preenchimento, vai aparecer uma lista geral com todas  as dívidas que você registrou no IRPF.

Vale ressaltar ainda que se existia uma dívida acima de R$ 5 mil em seu cartão de crédito (, que foi paga ao longo do ano, é preciso declarar à Receita Federal. Neste caso, o passo a passo não se altera.

Empréstimos com garantia

Nesta modalidade, você precisa deixar algum bem como garantia de seu empréstimo. Geralmente, são utilizados imóveis e automóveis, denominados Home Equity e Car Equity, respectivamente.

A declaração deste empréstimo segue um caminho bem similar ao citado acima. Existem 2 mudanças e elas são:  

  • Preencha na ficha de “Bens e Direitos”;
  • Informe o respectivo código do bem adquirido com o financiamento. Por exemplo: Apartamento “11” e casa “12”.

É preciso ressaltar que, os empréstimos com garantia, seja por financiamento do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) ou os sujeitos às mesmas condições, como nos casos de alienação fiduciária, hipoteca e penhor, não devem ser inseridos na ficha “Dívidas e Ônus Reais”.

O empréstimo consignado precisa ser declarado?

Sim. Como citamos anteriormente, é preciso declarar este tipo de crédito. Na visão da Receita Federal, isto é um aumento de patrimônio (recurso recebido) e logo, deve ter sua origem (empréstimo) declarado. Além disso, caso não declare, você poderá cair na malha fina, o que poderá acarretar uma multa que custa a partir de R$ 165,74 e pode aumentar em até 20% do imposto total devido.

Preciso fazer a declaração de empréstimo renegociado?

Sim. Para realizar esta declaração você precisa verificar se o contrato do empréstimo anterior foi encerrado. Conheça abaixo como fazer o preenchimento:

  1. Na ficha “Dívidas e Ônus Reais” em “Discriminação”, informe que ocorreu a renegociação;
  2. No campo “Situação em 31/12/22”, coloque R$ 0, tendo em vista que o contrato anterior está encerrado e em “Situação em 31/12/21” preencha com o valor da declaração de 2022.

Após esta etapa, caso seja gerado um novo contrato, será preciso declarar um novo empréstimo::

  1. Informe para a Receita Federal que este empréstimo se trata de uma renegociação em “Discriminação”, além dos demais dados pertinentes.
  2. Preencha com o valor de R$ 0 no campo “Situação em 31/12/21”;
  3. Em “Situação 31/12/22”, informe o saldo devedor dos empréstimos;
  4. Indique o valor pago no ano calendário em “Valor Pago em 2022”.

O que fazer em caso de empréstimos já declarados?

Os empréstimos que estavam presentes em sua declaração de 2022 e continuam ativos, com parcelas que deverão ser pagas em 2023, precisam ser declarados em seu Imposto de Renda, juntamente com o saldo do empréstimo atualizado.

Para isso, o passo a passo continua o mesmo que apresentamos em “Como declarar empréstimo: passo a passo”.

Declaração de empréstimo por antecipação de saque-aniversário

Para declarar a antecipação de seu saque-aniversário do FGTS, siga este passo a passo:

  1. Vá na ficha de “Dívidas e Ônus Reais” e selecione o código que representa a instituição financeira. Mencionamos estes códigos no tópico de “empréstimos pré-aprovados;
  2. Em “Discriminação”, informe o máximo de detalhes que tiver;
  3. Preencha o saldo devedor em “Situação em 31/12/22”;
  4. Insira o total que foi quitado em “Valor pago em 2022”.

Vale lembrar que só é preciso declarar caso você tenha um saldo devedor superior a R$ 5 mil em 31/12/2022. Além disso, todas as informações necessárias estão presentes em seu informe de rendimentos.

Agora que você já sabe como declarar empréstimo e o que fazer em caso de renegociação, basta ficar atento aos detalhes no momento do preenchimento para que não caia na malha fina. Por fim, fique atento ao prazo de envio do IRPF 2023, que se encerra no dia 31 de maio de 2023.

Conheça estas matérias que achamos importante para você:

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital , peça seu cartão sem anuidade (sujeito a análise) com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Informações sobre os produtos e serviços do C6 Bank vigentes na data da postagem deste texto. As regras e condições de cada produto e/ou serviço podem ser posteriormente alteradas. Consulte os termos vigentes no momento da contratação pelo app.